terça-feira, 3 de julho de 2012

A pressa em julgar

Quando vemos uma revista dizer que um ex-funcionário acusou um parlamentar de usar verba pública em campanha eleitoral, a gente corre e chama o político de ladrão. Condenamos imediatamente o cidadão, mesmo que ele prove inocência posteriormente.

O mesmo aconteceu com o humorista Rodrigo Emereciano, preso pela Polícia Federal acusado de pedofilia. Talvez você não conheça Rodrigo, mas certamente conhece Mução, personagem interpretado por ele há dezesseis anos.

Muitos correram para as redes sociais, blogs, jornais e televisão para acusá-lo e chamá-lo de monstro.

A Justiça revogou sua prisão e a Polícia Federal emitiu nota se desculpando pelo erro. O culpado era um irmão do humorista.

Alguns se desculparam, outros calaram e houve até quem dissesse que o irmão estava assumindo o crime para salvar a cara do irmão.

É bom que as pessoas aprendam com episódios como este a não se postarem como paladinos da moral, dos bons costumes e da verdade. Esperem a elucidação dos fatos.

Nota: conheço Rodrigo há mais de dez anos, mesmo sem nunca ter sido íntimo, mas sempre o admirei e fiquei extremamente surpreso ao ver a notícia. 

Manifestei-me no Twitter que acreditava em sua inocência torcia para que ele conseguisse se explicar. Explicou. É inocente.

Nenhum comentário: