quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Casa de ferreiro, espeto de pau

Olha só essa notícia da Folha de São Paulo:

"O senador Mário Couto (PSDB-PA) --que no mês passado, sem citar nomes, chamou de "ladrões" seus colegas de Senado-- teve bens bloqueados pela Justiça do Pará por suposto envolvimento em um esquema de fraudes em licitações na Assembleia Legislativa do Pará, quando foi presidente da Casa (2003-2007).

O caso ganhou repercussão pela descoberta da contratação de uma fábrica de tapioca para realizar serviços de engenharia, dentre outras supostas fraudes. O senador afirma que não tinha conhecimento dos casos.

O Ministério Público do Pará pede que Couto e outros acusados devolvam R$ 13 milhões aos cofres públicos, valor das licitações no período de 2004 a 2007.
Foi justamente desse valor de R$ 13 milhões que o juiz Elder da Costa determinou o bloqueio dos bens de Couto e outros cinco acusados.
...
Ele também é acusado em uma outra ação sobre supostas fraudes na folha de pagamento da Assembleia, com contratação de funcionários fantasmas. Seus bens chegaram a ser bloqueados e, após recurso, ele conseguiu derrubar o bloqueio.

No mês passado, Couto fez um discurso no Senado pedindo aos ministros do STF (Supremo Tribunal Federal) que "limpem" o Congresso Nacional. "Vejam o patrimônio de cada senador. Não engavetem os processos desses ladrões que estão aqui", afirmou na tribuna do Senado."

Nenhum comentário: