quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Nota oficial dos senadores do PSB

NOTA OFICIAL - 30/01/2013


O Brasil vem passando por mudanças que enchem de alegria e esperança o povo brasileiro. Durante as últimas décadas, consolidamos a democracia, universalizamos o acesso à educação básica e derrotamos a inflação. Mais recentemente, reduzimos as desigualdades de “raça”, renda, gênero e região. A taxa de desemprego nunca foi tão baixa e os índices de mortalidade infantil também caíram drasticamente.

Temos pela frente uma agenda de investimentos que, se cumprida, constituirá a base do crescimento econômico e do bem-estar da população brasileira por um longo período. Temos também que dar conta de tarefas gigantescas no plano social. Porém, embora haja ainda um longo caminho a percorrer até a conquista de uma educação de alta qualidade, de serviços de saúde adequados e acessíveis a todos, de transporte público digno e eficaz, de cidades menos assombradas pela criminalidade violenta, o povo brasileiro está cada vez mais mobilizado para a realização desses objetivos.

No plano institucional, aprovamos importantes dispositivos como as leis da Transparência, da Ficha Limpa, do Acesso à Informação e do Combate à Lavagem de Dinheiro. Não há dúvidas de que avançou o combate à corrupção e à ineficiência nas instituições públicas. O povo brasileiro está mais vigilante e exigente e isso é essencial para o aperfeiçoamento do Estado de Direito.
Exatamente por isso, o nosso povo está insatisfeito com os políticos, como confirmam as pesquisas de opinião, de quem espera um comportamento mais condizente com os desafios que o país enfrenta. Isso se reflete, de modo contundente, nos baixos índices de aprovação da atuação e da imagem do Congresso Nacional e do Senado Federal, em particular. E é preciso reconhecer: nosso povo está com a razão! Embora tenha também contribuído para o bom momento que o Brasil vive, a atuação desta Casa tem deixado a desejar.

Os cidadãos e cidadãs, com toda a justeza, se queixam da ineficiência, do desrespeito à ética, da falta de maior sintonia com as grandes aspirações da nação. O resultado é um Senado amesquinhado, enfraquecido, submisso até, na sua relação com o Poder Executivo. Ao mesmo tempo, a omissão reiterada ou a dificuldade em decidir tem aberto espaço para que o Poder Judiciário encampe questões que cabem a esta Casa resolver. Isso acarreta grave prejuízo para a República, uma vez que esta se assenta no equilíbrio entre os poderes.

Da mesma forma, o Senado compromete seu papel como representação igualitária dos 26 estados brasileiros e do Distrito Federal no Congresso Nacional. Debilitada, esta Casa falha em sua missão de porta-voz e defensora dos reclamos e interesses das entidades federadas aqui representadas. Isso acarreta grave prejuízo para a Federação, que se assenta na cooperação equânime das entidades que a compõem.

É nesse quadro de desgaste de sua imagem institucional que se realiza a eleição para a Presidência e a Mesa desta Casa.

O que a sociedade espera de nós, muito além de uma necessária autocrítica, é um compromisso firme com a ética e com a continuidade do processo de transformação do Brasil em uma nação justa e próspera. Devemos, portanto, utilizar esta oportunidade para encontrar a melhor maneira de recuperar a credibilidade desta Casa.

Assim, além de uma plataforma que resgate a dignidade do Senado Federal, é preciso que o nome do novo presidente esteja associado, perante a opinião pública, a esse ideal de renovação.

São enormes os desafios que pesam sobre os membros desta Casa. Somente com o devido senso de responsabilidade histórica, seremos capazes de fazer com que o Senado Federal se ponha à altura do papel que efetivamente lhe cabe, como instituição fundamental para a promoção dos valores e a realização dos objetivos maiores da República.

Brasília, 30 de janeiro de 2013

BANCADA DO PSB NO SENADO FEDERAL

PT e PSB podem estar juntos ou separados em 2014

O Partido Socialista Brasileiro foi o partido que mais cresceu em 2006, 2008, 2010 e 2012. É o que mais se destaca entre os governos estaduais e das capitais nas pesquisas de opinião sobre aprovação de seus governos.

Essas e outras coisas tornam o presidente da legenda, governador de Pernambuco, Eduardo Campos potencial candidato à presidência da República em 2014.

Sabedor disso, o ex-presidente Lula, articulador político do do PT e conselheiro da presidenta Dilma Rousseff, procura uma solução para equacionar o problema.

Segundo o jornal Folha de São Paulo, o presidente Lula tem conversado com algumas pessoas sobre a possibilidade de o PMDB, que deverá comandar Câmara dos Deputados e Senado a partir da próxima semana, abrir mão da vaga de vice-presidente ocupada por Michel Temer.

Para isso, o PT apoiaria Gabriel Chalita, do PMDB, ao governo de SP em 2014.

Se vai funcionar, ninguém sabe...

quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Hospital da Mulher reduz serviço para não fechar

Deu no blog de Carlos Santos:

"O Instituto Nacional de Assistência à Saúde e à Educação (INASE) comunica que o Hospital da Mulher Parteira Maria Correia realizará, a partir de amanhã (quinta-feira, 31), apenas atendimentos de urgência e emergência, em decorrência da falta de recursos financeiros para manter o funcionamento pleno da unidade.

A direção do Inase enviou comunicado à Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) do Rio Grande do Norte solicitando explicações sobre o motivo de o Governo ter efetuado pagamento parcial referente aos serviços prestados pelo Inase. O valor depositado não cobre a folha salarial de todos os profissionais.

O Inase desconhece os motivos de a Sesap ter efetuado apenas o repasse parcial, visto que já existe atraso referente ao mês de dezembro e parte de janeiro, apesar de o Inase ter prestado contas com toda documentação necessária e exigida pelo contrato para os três dias de outubro, todo o mês de novembro e todo o mês de dezembro.

O Inase não tem medido esforços para manter o funcionamento da unidade, mas ainda aguarda resposta da Sesap a respeito da disposição de encerramento do contrato de gestão do Hospital da Mulher, visto que os sucessivos atrasos nos repasses comprometem a excelência na prestação dos serviços.

Desde que assumiu a gestão do Hospital da Mulher, em 29 de outubro de 2012, a intenção do Inase seria efetuar o pagamento de todos os profissionais até o quinto dia útil do mês, sendo inviável devido à falta de repasse do governo estadual.
Com informações do Inase."

As sem-razões do amor - Carlos Drummond



Eu te amo  porque te amo.

Não precepisas ser amante,

e nem sempre sabe sê-lo.

Eu te amo porque te amo.

Amor é estado de graça e com amor não se paga.

Amor é dado de graça, é semeado no vento,

na cachoeira, no eclipse.

Amor foge a dicionários e a regulamentos vários.

Eu te amo porque te amo bastante ou demais a mim.

Porque amor não se troca,

não se conjuga nem se ama.

Porque amor é amor a nada,

feliz e forte em si mesmo.

Amor é primo da morte,

e da morte vencedor,

por mais que o matem (e matam)

a cada instante de amor. 

Pesquisa para o Senado 2014

O instituto Consult também ouviu as pessoas sobre em quem votaria para o Senado. 

Assim como nas sondagens para o Governo, houve simulações envolvendo vários nomes que, especula-se, possa concorrer ao Senado.

Há quadros menos prováveis, outros menos, mas nenhum impossível.

Hoje há dois nomes declaradamente candidatos ao Senado: Henrique Alves e Fátima Bezerra.


Wilma de Faria (PSB) X Robinson Faria (PSD):

Wilma de Faria – 43.00%
Robinson Faria – 21.88%
Nenhum – 20.06%
Não Sabe Dizer – 15.06%


Fátima Bezerra X Wilma de Faria:

Wilma de Faria – 37.47%
Fátima Bezerra – 35.35%
Nenhuma – 14.12%
Não Sabe Dizer – 13.06%


Henrique Alves X Robinson Faria:

Henrique Alves – 35.71%
Robinson Faria – 21.12%
Nenhum – 24.88%
Não Sabe Dizer – 18.29%


Fátima Bezerra (PT)  Henrique Alves (PMDB):

Fátima Bezerra – 43.59%
Henrique Alves – 28.71%
Nenhum – 13.53%
Não Sabe Dizer – 14.18%


Fátima Bezerra X Robinson Faria:

Fátima Bezerra – 48.06%
Robinson Faria – 20.82%
Nenhum – 15.47%
Não Sabe Dizer – 15.65%.



Wilma de Faria X Henrique Alves:

Wilma de Faria – 40.41%
Henrique Alves – 28.88%
Nenhum – 17.94%
Não Sabe Dizer – 12.76%


Hospital evita corte de energia; polícia é acionada

Deu no blog de Carlos Santos:

"Equipe da Cosern – concessionária de serviços públicos de energia elétrica no Rio Grande do Norte – foi impedida agora há pouco de entrar no Hospital Materno-Infantil Parteira Maria Correia (Hospital da Mulher), em Mossoró.

A direção do hospital (do Instituto Nacional de Assistência à Saúde e à Educação INASE) não permitiu inspeção prévia que antecederia o corte do serviço, em face do atraso de pagamento há três meses. A empresa concessionária iria verificar sobretudo detalhes técnicos relativos a geradores de energia e sistemas imprescindíveis à garantia de vidas humanas.
O incidente virou caso de polícia. Uma guarnição foi chamada, mas o seu comandante recusou-se a dar garantia ao acesso ao imóvel, saindo em seguida.
O Blog tentou contactar com representante da Cosern, sem sucesso até o momento.
O Hospital da Mulher virou caso de polícia. Literalmente.
O próprio Governo do Estado, que o implantou com serviço terceirizado, admite que mais de 50% dos recursos destinados ao hospital foram desviados. A soma total despejada no empreendimento no ano passado, sem licitação alguma, passa dos R$ 16 milhões."

terça-feira, 29 de janeiro de 2013

58 municípios visitados pela Consult


A Consult ouviu 1.700 eleitores em 58 municípios.

A distribuição foi a seguinte:

Natal (395 entrevistas); Mossoró (120); Parnamirim (55); São Gonçalo (45); Caicó (45); Ceará-Mirim (40); Assu (40); Macaíba (35); Apodi (35); Nova Cruz (35); São José de Mipibu (30); Macau (30); Santa Cruz (30); Pau dos Ferros (30); Currais Novos (30); Goianinha (25); João Câmara (25); Areia Branca (25); São Miguel (25); Caraúbas (25); Santo Antônio (20); Canguaretama (20); Touros (20); Patu (20); Baraúna (20); São Paulo do Potengi (20); Tangará (20); Várzea (15); Arêz (15); Monte Alegre (15); Lagoa de Pedras (15); Taipu (15), Maxaranguape (15), Poço Branco (15); São Marcelino Vieira (15); Jardim de Piranhas (15); Itaú (15); Parelhas (15); Acari (15); Jardim do Seridó (15);  Carnaúba dos Dantas (15); Campo Redondo (15); Serra Caiada (15); Angicos (15); Pedro Avelino (15); São Pedro (15); Lajes (15); Severiano Melo (15); Grossos (15); Tibau (15); Umarizal (15); Extremoz (15); Pedro Velho (15); Fernando (10); Cruzeta (10); Itajá (10); Bom Jesus (10); Doutor Severiano (10).

Consult realiza pesquisa sobre quadro sucessório de 2014

O instituto Consult realizou por conta própria uma pesquisa para verificar a situação dos nomes que estão no tabuleiro político do Rio Grande do Norte.

Os nomes são conhecidos, os números veremos a seguir. 

São várias simulações e avaliações.

segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Emenda de Sandra Rosado atende Liga do Câncer com novos equipamentos

 Recursos alocados pela deputada federal Sandra Rosado (PSB) no Orçamento Geral da União (OGU) beneficia a Liga Norte-Rio Grandense Contra o Câncer (LNRCC) com novos equipamentos para o Hospital Dr. Luiz Antônio em Natal. 

Nesta tarde, o superintendente da Liga, Ricardo José Curioso, fez a entrega oficial de 2 (dois) ventiladores pulmonares adquirido a partir de emenda ao OGU do ano de 2010 no valor de R$ 98 mil e somente liberado no final do ano passado. "Faço questão de agradecer a confiança, dos que nos ajudam, ao trabalho que desenvolvemos em nossa instituição. Cada equipamento representa um avanço considerável no atendimento daqueles que tanto precisam; e a deputada Sandra Rosado é nossa parceira de todas as horas”, diz Ricardo Curioso.

Para Sandra Rosado, a forma como o recurso foi aplicado mostra o compromisso que a Liga do Câncer tem com o Rio Grande do Norte. "Fico feliz em ver que de tão pouco é possível fazer muito”, acrescenta Sandra Rosado que em 2012 alocou emenda no valor de R$ 200 mil e será revertida na compra de 2 (dois) aparelhos de anestesia e 3 (três) mesas cirúrgicas.

*Com informações da assessoria

Desembargador decreta prisão de secretários de estado por descumprimento de decisão

Deu na Tribuna do Norte:

"O desembargador Virgílio Macedo Júnior, do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte, decretou a prisão em flagrante dos secretários estaduais de Administração e Recursos Humanos, Antonio Alber da Nóbrega, e do Planejamento e Finanças, Francisco Obery Rodrigues Júnior, por descumprimentos de decisões judiciais que determinam a concessão de reajuste salarial a servidores públicos estaduais, conforme a Lei Complementar nº 432/2010, que instituiu o Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração dos Órgãos da Administração Direta do Poder Executivo, e que não vinha sendo respeitada pelo Governo do Estado.

De acordo com o desembargador, houve a tentativa do cumprimento do mandado de prisão, mas até o momento, eles não foram encontrados. Os secretários deverão ser recolhidos ao Quartel do Comando da Polícia Militar, após realizarem exames de corpo de delito no ITEP.

A decretação da prisão, tomada no Mandado de Segurança Liminar (processo nº 2012.014913-4), em que são autores diversos servidores públicos estaduais, ocorreu em atendimento ao pleito dos advogados Manoel Batista Dantas Neto e João Elder Dantas Cavalcanti, que representam os autores, como última medida para cumprimento da ordem judicial, já que repetidas decisões do Tribunal de Justiça proferidas por outros desembargadores foram descumpridas, assim como a aplicação de multas não vinham surtindo os efeitos desejados pelo sistema jurídico.

Decisão

De acordo com os requerentes, segundo alegação na petição inicial, o Governo do Estado concedeu, desde o mês de setembro de 2010, em média, apenas 30% do aumento salarial assegurado pela lei. De acordo com a decisão, os dois secretários foram notificados nos dias 10 e 12 de dezembro acerca da decisão liminar que determinava o reajuste imediato nas remunerações, inclusive com a fixação de multa diária no valor de R$ 1 mil a cada uma das autoridades em caso de descumprimento. Entretanto, não houve o cumprimento da determinação.

Na sentença, o magistrado frisou que a decretação da prisão não foi tomada precipitadamente, uma vez que o desembargador havia tentado inicialmente coagir os impetrantes a cumprirem a decisão por meio da imposição de multa. Destacou também que este não foi o primeiro caso de descumprimento de decisão judicial por parte dos secretários estaduais e que eles "sequer apresentaram justificativas para sua omissão ou inércia, o que revela total desídia no cumprimento de suas obrigações funcionais, além de descaso para com os atos proferidos pelo Poder Judiciário".

Em sua decisão, o desembargador Virgílio Macedo Júnior destaca que "com efeito, o descumprimento de decisão judicial é a forma mais grave de desrespeito ao funcionamento do aparelho judicial. Todos os atos ou omissões, culposos ou dolosos, que criem dificuldades ao alcance do resultado jurídico prático, causam embaraço à efetivação da tutela jurisdicional"."

Nova Central do Cidadão

No início de 2011, comecinho do mandato, a governadora prometeu reformar o prédio da rodoviária Diran Ramos do Amaral para acomodar a Central do Cidadão, importante ferramenta para a população criada ainda no governo de Garibaldi Alves.

Passados praticamente dois anos, a população continua sofrendo com as condições precárias de atendimento na Central do Cidadão.

A informação é de que a reforma sequer foi concluída. A obra estaria paralisada há algum tempo.

Pesquisa Ipesp para presidência da República.

O Partido Verde encomendou uma pesquisa ao instituto Ipesp. Não gostou do que viu.

São alguns cenários estimulados:

No primeiro, Dilma Rousseff (PT) tem 57%; Aécio Neves (PSDB) 18% e Fernando Gabeira (PV) 10%.

No segundo, Dilma tem 42%; Marina Silva (sem partido) 32%; Aécio 12%; Gabeira 4%.

No terceiro, Dilma tem 39%; Marina 35%; Aécio 12%; e Eduardo Campos (PSB) tem 4%.

A pesquisa também quis saber o nível de confiança nos partidos. O PT ficou com 37%; o PSB 36%; o PV 36%; PMDB 31%; e PSDB 27%.

Nota: a principal constatação é a de que não existe candidato imbatível.

Tragédia

Que coisa mais triste essa que aconteceu em Santa Maria, Rio Grando do Sul.

Mais de 230 mortos, o que significa uma infinidade de pais, mães, avós, irmãos, amigos, namorados(as), etc, sofrendo!

Que Deus envie espíritos iluminados para amparar todos os atingidos pelo incêndio na boate Kiss.

Voltando...

Desde dezembro que o blog vem em ritmo praticamente parado.

Vamos mudar essa realidade.

Aos poucos, vamos voltar ao normal.

sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

Independência dos municípios

Deu na Folha de São Paulo:

"Com a descentralização fiscal promovida pela Constituição de 1988, municípios assumiram papel crescente na Federação e na economia.

Em 1.980 cidades, o setor público gera mais de 35% do produto local. Se as receitas municipais foram engrossadas por maiores repasses federais e estaduais, seus gastos também foram pressionados com novas responsabilidades nas políticas sociais e urbanas.

Não deve haver uma única cidade que se financie só com impostos e taxas locais. É inevitável depender de recursos federais e estaduais. Como as prefeituras precisam de estratégia para lidar com essa dependência, o início de mandato é uma boa oportunidade para tal planejamento.

As principais transferências, das cotas de impostos, que custeiam 60% do gasto municipal, são entregues regularmente, a cada semana ou dez dias, pois estão previstas na Constituição.
Mas isso não evita problemas quando a economia desacelera e/ou o governo federal concentra desonerações nos impostos compartilhados, como IPI.

Se uma prefeitura sozinha nada pode fazer, junto com outras poderia defender uma sistemática de proteção que comece por alargar a base de cálculo do Fundo de Participação dos Municípios para alcançar toda a receita tributária federal, com menor percentual.

Outros recursos intergovernamentais e financiamentos cobrem perto de 6% do Orçamento municipal e tendem a crescer. As transferências voluntárias da União para municípios nos 11 primeiros meses de 2012 equivaleram a 18% do FPM. No mesmo período de 2004, foi de 12%. Isso ilustra como a erosão do FPM vem empurrando os prefeitos para essas alternativas.
Mas nesse caso impera a incerteza: começa na dotação no Orçamento e no drible ao contingenciamento, passa pela menor racionalidade técnica no rateio e chega à irregularidade nos repasses.

Tudo agravado pelo desconhecimento de gestão de muitos administradores locais e pela incapacidade operacional de servidores.

Mais produtivo seria, de imediato, as prefeituras reclamarem repasses gerais, como repetir o FPM extraordinário pago em 2010 para atenuar os efeitos da crise.

O caminho para independência das prefeituras só será trilhado com impostos municipais. Administradores e contribuintes precisam da difícil conscientização de que cobrar melhor ISS, IPTU e taxas melhora a autonomia, a responsabilidade e a equidade. O IPTU, principal fonte das prefeituras de vários países, tem ficado tão para trás que em 93% das cidades arrecada menos que o IPVA dos carros. Alterações na legislação nacional poderiam ajustar a inverter esse cenário."

*ALEXANDRE CIALDINI e JOSÉ ROBERTO AFONSO são economistas e especialistas em finanças públicas.

RN perdeu R$ 45 milhões para Saúde

Deu no blog de Cezar Alves:

"Através da Portaria 48/2013, o Ministério da Saúde suspendeu o repasse de quase R$ 45 milhões para ampliar UTIS e SAMU, assim como construir UPAs no Rio Grande do Norte.
A decisão do MS foi tomada depois que técnicos visitaram RN e verificaram que o Plano de Ação da Rede de Atenção às Urgências não estava sendo seguido como planejado.
Dos R$ 45 milhões, mais de R$ 30 milhões eram destinados para Natal. Neste caso, mais de R$ 20 milhões foram perdidos devido a incompetência da Prefeitura de Natal.
O restante foi perdido devido a incompetência do Governo do Estado, que não seguiu corretamente o Plano de Ação de Atenção às Urgências.
Isto na prática está bem evidente, quando mostra o Governo do Estado incompetente para resolver os problemas em curto prazo. Hospital Walfredo Gurgel continua um caos.
A Portaria 48/2013 foi publicada neste dia 17, no final da tarde. Quem a tornou pública foi o secretário de saúde Jailmir Simões, de São Gonçalo do Amarante, que ficou indignado.
Devido a “gestão” da Sesap/Prefeitura de Natal:
Ceará Mirim perdeu R$ 1.614.720,00
Lajes perdeu R$ 2.040.000,00;
Macaíba perdeu R$ 2.948.820,00;
Parnamirim perdeu R$ 4.501.440,00
São Gonçalo do Amarante perdeu R$ 2.526.720,00
Natal perdeu R$ 10.097.460,00 da gerência própria e mais R$ 20.903.223,84 da gerência do Estado.
Aguardamos agora as explicações do Governo do Estado e da Prefeitura de Natal."

Frase

"Ele ( José Sarney) conduz a bancada e o próprio senado como se estivesse no Amapá ou no Maranhão e é preciso dizer, sem rodeios, que a presidente da República é conivente com tudo isso" - Jarbas Vasconcelos, senador pelo PMDB, ao criticar a provável eleição de Renan Calheiros, também do PMDB, para comandar o Senado.

quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

Surfando na mesma onda

Deu no jornal O Globo:

"A conversa entre a presidente Dilma e o governador Eduardo Campos (PE-PSB) foi pautada pela crise econômica e a importância do Nordeste como alavanca da economia este ano. A contragosto, no ano passado, o Ministério da Fazenda aceitou ampliar o limite de endividamento dos governadores, dinheiro que, agora, garantirá obras de infraestrutura e o reaquecimento da economia, o que para Dilma, é fundamental. O PSB tem quatro governadores no Nordeste (PE, CE, PI e PB) e quer ser sócio do crescimento econômico. Ou seja, Campos é importantíssimo para Dilma neste momento e a ele não interessa conflito com o PT."

Gastança

O Governo do Rio Grande do Norte torrou no ano de 2012 um total de R$ 13.270.678,20 somente em diárias...

R$ 36,36 mil por mês.

PS: no Portal da Transparência não diz se as viagens foram a Mossoró.

Frase

"As vezes a vida volta" - Clarice Lispector

terça-feira, 15 de janeiro de 2013

Henrique e o vazio


Por Vicente Serejo (Jornal de Hoje)


Vai ser um prejuízo para o Rio Grande do Norte se denúncias como essa de Veja, grandes ou pequenas, como sejam, venham de alguma forma impedir a chegada do deputado Henrique Alves à presidência da Câmara Federal. Menos por ele, hoje líder nacional do seu partido, com 11 mandatos, e mais pelo Estado que ao longo das últimas décadas sofreu um esvaziamento de representatividade, a ponto de ficar sem voz determinante, empobrecido e anônimo, na cena política e na vida nacionais.



Dito assim pode parecer um exagero, mas os nomes perdidos dispensam os argumentos: de 1984 a 2012, perdemos o senador Dinarte Mariz (1984), o escritor Câmara Cascudo (1986), o ministro Aluizio Alves (2006) e o cardeal Eugênio Sales (2012). Para não levar a memória a nomes mais remotos, como Tavares de Lyra, o ministro do presidente Afonso Pena; Amaro Cavalcanti, ministro do Supremo e da Corte internacional de Haia e Café Filho que chegou a presidir o Brasil.
Aliás, se fosse para recuar, caberia registrar nossa perda de substância no campo das idéias.


Rodolfo Garcia chegou à Academia Brasileira de Letras, onde é nome de biblioteca, foi diretor da Biblioteca Nacional e o historiador mais respeitado de sua época. Peregrino Júnior presidiu a ABL; Jayme Adour da Câmara, o modernista que editou a Revista de Antropofagia; e Octacílio Alecrim, eleito membro do Proust Club na França, em Paris, foi o fundador do Proust Clube aqui no Brasil.


Hoje, o que temos? Nunca tivemos tantos políticos. No entanto, nunca fomos tão anônimos. Jamais lançamos tantos livros e conseguimos ser tão desconhecidos nacionalmente. A crise que nos abate, convenhamos, é de talento, único atributo capaz de compensar a limitação econômica de um Estado preso a uma região subdesenvolvida. Nossos políticos são marcados pela pobreza de espírito público e os nossos intelectuais não ousam estilosos que são na mesmice de macaquearem modelos.



Nesta fase de pobreza, e mais do que um ministro ou um senador vaidosos dos seus títulos e seus mandatos, o Rio Grande do Norte precisa de uma marca luminosa a ocupar espaço de decisão no centro do poder republicano. Mas, desde que tenha uma visão larga, acima das divisões pessoais e partidárias sempre tão provincianas e empobrecedoras do nosso horizonte. E, sobretudo, capaz de nos projetar além da estrada entre Natal e Mossoró, para levar a nossa voz forte aos grandes auditórios.



Ao deputado Henrique Alves, agora construtor do seu próprio destino, cabe mostrar-se por inteiro diante do Rio Grande do Norte e do Brasil. Sob pena de sucumbir na trama fina de denúncias e suspeitas, como esta que ocupa as páginas da revista Veja. E quanto menor a conta, como parece ser o caso de uma simples locação de automóvel, maior será o desgaste, na medida em que se deixar emaranhar no varejo de questiúnculas muito abaixo da magnitude do cargo que pretende ocupar.

terça-feira, 8 de janeiro de 2013

1/2 férias

Nesses primeiros dias de janeiro estou aproveitando para curtir um pouco mais minha família, principalmente minha filha, Maria.

Portanto, as notícias por aqui podem não ser tão constantes quanto eu gostaria...

Dia 14/01 retornaremos diariamente com o Observador Político pela TV Mossoró e FM 93,7.

sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

Eduardo Campos fará encontros pelo país

Deu no Correio Braziliense:

"Presidente nacional do PSB, o governador de Pernambuco, Eduardo Campos,sempre cita, entre suas frases favoritas, a importância de seguir caminhos sem a necessidade de "inventar a roda". E ele adota a receita que prega, acrescentando o tempero doPSB. A partir de abril, por exemplo,Eduardo e seu partido realizarão seminários emtodasasregiões brasileiras para qualificar gestores e apresentar experiências exitosas dos governos socialistas. Os eventos serão organizados pela Fundação João Mangabeira elembram as caravanasdacidadania feitas por Luiz Inácio Lula da Silva entre 1993 e 1996. 

Os eventos funcionam como vitrine para consolidar o nome de Eduardo Campos no cenário nacional. Não é novidade para Eduardo realizar seminários e debates para elaborar políticas públicas e aprofundar estudos com as lideranças do PSB. Ele adotava a prática em Pernambuco quando era deputado federal e estava no papel de opositor ao então governador Jarbas Vasconcelos (PMDB). O socialista visitava municípios de Pernambuco onde os opositores resistiam ao "rolo compressor" governista, conversava ao pé do ouvido, conhecia os prefeitos locais. A diferença, agora, é que o PSB fará essa atividade noBrasil. Quer plantar as sementes do modelo de gestão de Pernambuco, conquistar apoios e medir a temperatura para uma possível disputa presidencial.

A assessoria do governador garanteque ele nem sempre estará presente nos seminários, mas Eduardo Campos demonstra empolgação com a ideia, que começará a ser detalhada a partir de 31 de janeiro e sairá do papel em abril, com os nomes das cidades a serem visitadas. Uma das orientações que pretende dar aos gestores eleitos, aliás, já virou mantra: "Na verdade, o mais importante é cumprir os compromissos assumidos com a população. Não precisa inventar a roda". 

Segundo o governador, a Fundação João Mangabeira está com o calendário de reuniões no forno. "Os seminários colherão informações, além de pegar retorno de quem está diante de desafios que a gente não tinha enxergado ainda, para que a gente identifique se tem experiências que possam servir de referência", afirmouEduardo, logo depois de prestigiar um ato administrativo do prefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB ). Na ocasião, ele e Geraldo Julio visitaram o terreno de 30 mil metros quadrados para construir o Hospital da Mulher do Recife. Geraldo recebeu a doação da área do governo federal e o estudo pronto do governo estadual, que fará uma unidade de saúde semelhante em Caruaru.

Projeção

Indagado se os seminários ajudariam a projeção de seu nome em nível nacional, Eduardo Campos desconversou. "Não, não. Vamos ajudar os prefeitos a cuidar dos seus compromissos. O nosso objetivo é poder dar conta da responsabilidade. A gente teve uma vitória muito maior do que imaginava e, portanto, tempos uma responsabilidade maior", argumentou, referindo-se aos pouco mais de 700 prefeitos eleitos pelo PSB em outubro passado.

Os seminários do PSB devem ocupar espaços vazios deixados tanto pela oposição quanto pelo PT no tocante ao debate de temas com a sociedade. Eduardo hoje tem discursos nacionais consolidados, a exemplo da defesa do pacto federativo, da distribuição dos royalties do petróleo e da redução da carga tributária. São temas que agradam especialmente aos prefeitos e aos empresários, mas os seminários devem popularizar mais a legenda e aproximá-la do eleitor.


"Na verdade, o mais importante é cumprir os compromissos assumidos com a população. Não precisa inventar a roda" Eduardo Campos, presidente do PSB e governador de Pernambuco"

Favorito para chefiar Câmara diz que desobedecerá ao STF


Deu na Folha de São Paulo:

"Favorito para comandar a Câmara dos Deputados a partir de fevereiro, o líder da bancada do PMDB, Henrique Eduardo Alves (RN), disse ontem que, se eleito, não pretende cumprir a decisão do Supremo Tribunal Federal pela cassação automática do mandato dos condenados no julgamento do mensalão.

No mês passado, o STF determinou que os deputados João Paulo Cunha (PT-SP), Valdemar Costa Neto (PR-SP) e Pedro Henry (PP-MT) percam o mandato imediatamente após o fim do julgamento -o que ocorrerá após a análise dos recursos.

A decisão também afeta agora José Genoino (PT-SP), que era suplente e tomou posse ontem na Câmara.

Em entrevista à Folha, Henrique Alves, candidato favorito à presidência da Câmara, afirma que o Congresso não abrirá mão da prerrogativa de dar a palavra final. Isso inclui votação secreta no plenário da Casa, onde uma cassação só ocorre com o apoio de pelo menos 257 dos 513 deputados.

Segundo Henrique Alves, a “Constituição é clara” e, portanto, cada Poder deve ficar “no seu pedaço”."

Chuvas e trovoadas

Por Eliane Catanhêde, Folha de São Paulo:

"As manchetes dos jornais de ontem, terceiro dia do novo ano, não foram nada animadoras, muito pelo contrário.

Folha: "Triênio de Dilma deverá ser o pior da América do Sul". "O Globo": "Balança comercial tem o pior resultado em dez anos". "O Estado de S. Paulo": "Reservatórios do NE estão abaixo do nível de segurança". E, para completar, ou arrematar, "Correio Braziliense": "Aumentos em série abrem o novo ano".

Pode-se ler com uma visão míope e persecutória: é a imprensa golpista atacando o pobre e indefeso governo. Ou pode-se ler com um olhar realista, como alerta, para reflexão e análise. Números não mentem, ou melhor, raramente mentem.

No caso do PIB, é fato que o Brasil cresceu em 2012 menos do que a média da América do Sul e do que os países emergentes (entre eles, os Brics), e a perspectiva para 2013 não é para soltar fogos. A ver.

No caso da balança comercial, os dados são oficiais, do próprio governo. No dos reservatórios, o alerta nem chega a ser novidade. E os aumentos em série no DF atingem escolas, material escolar, aluguéis, viagens, seguro de carro, DPVAT, taxas de limpeza urbana e de água. Que atirem a primeira pedra os Estados que estão em situação muito melhor.

Afinal, se o crescimento da economia é pífio, o da inflação não é tanto assim. Como a gente vem dizendo há algum tempo, prevalece no Planalto um certo desdém pelo centro da meta inflacionária. O que vale, agora, na prática, é o teto.

Tudo parece ser compensado com a --justa, aliás-- comemoração pelos índices invejáveis de emprego, na contramão do desemprego recorde da Europa, por exemplo. Mas esse não é o único indicador relevante e, no contexto de redução de investimentos, da balança comercial e do fluxo cambial, também pode não se manter sólido como uma rocha.

E as chuvas e deslizamentos nossos de cada ano estão só começando."

Herança

Deu na coluna de Ilimar Franco, O Globo:

"O último ato de Luizianne Lins (PT) como prefeita de Fortaleza foi decretar reajuste da passagem de ônibus em 10%. A medida foi publicada dia 31 de dezembro, para surpresa do sucessor, Roberto Cláudio (PSB)."