quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Lairinho reafirma sua defesa em prol de água para o Jucuri

(A) “A luta é nossa, mas a conquista é de todos. O importante é que acabe a sede do povo.” Com essas palavras, o vereador Lairinho Rosado (PSB) reafirmou a sua defesa em prol do abastecimento de água para o Jucuri. O edil ocupou a tribuna da Câmara Municipal de Mossoró na sessão desta quarta-feira (27) para tratar sobre sua luta pela comunidade. 


Durante cerca de dez minutos, Lairinho tratou das conquistas e das metas com relação a implantação do sistema de abastecimento de água para o Distrito do Jucuri, localizado na zona rural de Mossoró. O vereador iniciou sua fala afirmando que a iniciativa é um sonho que vem se tornando realidade.

“Teve quem considerou o projeto como uma utopia, tentando desacreditar a iniciativa. Mas, uma parte do sonho já se realizou”, disse Lairinho, se referindo a etapa de perfuração do sistema de abastecimento de água no Jucuri. Ele lembrou que a conquista foi das deputadas Sandra e Larissa Rosado, federal e estadual, respectivamente; no final do ano de 2011.
Durante seu pronunciamento, o vereador também destacou que a luta ainda continua. “Mesmo muita gente torcendo contra, nós iremos continuar com empenho máximo. Irei à Brasília quantas vezes for necessário em busca dos recursos”, assegurou Lairinho, fazendo referência a sua mais recente ida à capital federal na semana passada para tratar do assunto, conforme registrado pela foto acima.

“Vou comemorar muito quando ver o sistema funcionando plenamente”, acrescentou ele, enfatizando que a distribuição de água beneficiará o Jucuri e outras dez comunidades próximas. Na ocasião, vereadores parabenizaram a luta de Lairinho e das deputadas Sandra e Larissa em prol desse projeto.

Entrevista de Ciro Gomes ao jornal A Tarde

Não concordo com 100% do que disse Ciro. Admiro-o profundamente por sua inteligência, já não concordo muito com o jeitão dono da razão e duro de dizer algumas coisas.

Gostando ou não, admirando-o ou não, vale à pena ler a entrevista que Ciro Gomes deu ao jornal A Tarde, de Salvador-BA.


"O senhor disse que cansou de brigar na política nesses últimos 34 anos de atividade na área. Não almeja mais ser candidato à Presidência da República?
Não desisti. Só quero ser (candidato) agora se as coisas se organizarem para isso. Porque tenho uma tragédia na vida, da qual não me arrependo, que me traz à situação em que me encontro nesse momento: hoje, até por demérito dos outros, sou o político mais treinado, que tem a experiência mais extensa, municipal, estadual, federal ângulo tal, ângulo outro, acadêmico e com juventude relativa, 55 anos, e estou completamente proscrito do debate (político). Meu partido não me chama para nada, eu sou um inconveniente  para todo mundo. Isso porque eu não acho que vale a pena compactuar com o que está aí. Esse banquete fisiológico, clientelista, quando não corrupto, PT-PMDB.  Nós outros, PDT, PCdoB, PSB, comendo migalhas embaixo da mesa, sem ter a menor influência numa agenda progressista para o Brasil. Sequer o debate existe. Não me agrada esse império das conveniências, dos oportunismos. Talvez eu esteja ficando fora de moda. Mas eu sigo lutando. Amo a política, amo o povo brasileiro. Aos 34 anos de luta, nunca respondi sequer uma representação, nem para ser inocentado. Isso já tendo ocupado a chefia da economia do País. Continuo estudando, viajo para o estrangeiro, faço palestras, enfim, sou um militante e gostaria de ser o presidente do Brasil, mas, confesso, não quero mais brigar.



Mas e as declarações atribuídas ao senhor numa entrevista a uma rádio no fim de semana, segundo as quais o senador Aécio Neves, o governador Eduardo Campos, e Marina Silva não teriam condições de governar o País...
Veja bem a fraude que é a nossa mídia. Não disse isso. Eu disse o seguinte: são três pessoas muito boas - não sei como editaram a matéria -  enfim, disse que são pessoas preparadas, com espírito público, agora sinto um deserto de ideias. Nós vamos votar neste, naquele ou naqueloutro por que são meus amigos, gente boa, simpáticos? É ruim para o País. O governo Dilma está preso nessa coalizão fisiológica e tocando aí o dia a dia do governo fazendo essas pequenas iniciativas, truques fiscais, e está aí o País, amarrado nessa taxa pífia de crescimento econômico. Os autorreferidos  candidatos não apresentam uma ideia! Agora o Aécio, através dos jornais, disse que vai conversar comigo. Por que precisa conversar comigo e não fala na televisão para eu ver? Eu quero conversar com ele sempre, é meu querido amigo. Aí o Eduardo (Campos) diz que eu sou voz isolada dentro do PSB. Ora, eu estou cansado de saber que sou voz isolada. A questão não é essa. É como alguém quer ser o presidente da República e não se sente obrigado, constrangido e estimulado a andar pelo País, visitar o Brasil e falar o que pensa, o que está errado. Porque, se o cara é candidato contra a reeleição da Dilma, primeiro ele tem que sair do governo. Sou um velho que cultiva lealdade, coerência, decência.



A proposta do governador Cid Gomes (CE) é que Eduardo Campos fosse o vice de Dilma...
Cid é uma pessoa idealista e de boa-fé, mas sabe quando Eduardo vai ser vice? Nunca. Porque essa  coalização (PT-PMDB) acabou de ser cimentada com Renan Calheiros na presidência do Senado e  Henrique Alves na Câmara. Você acha que com esse espólio de poder, já tendo a vice-presidência da República, Michel Temer, eles vão trocar de vice?



Então, PSB vai ficar de fora desse processo de sucessão...
Claro que vai ficar. Sempre defendi candidatura própria. Mas a questão é: se nós queremos ter uma candidatura própria, temos que dizer por que e agora. Porque o povo não vai entender que a gente fique  comendo migalhas debaixo da mesa do banquete PT-PMDB e seis meses antes das eleições a gente saia do governo. Até porque o segundo lugar que era nosso na opinião pública brasileira é da Marina Silva. E quem vai representar essa negação pseudoética? Não que ela (Marina) não seja ética, ela é, mas o discurso como se fosse abastância de si mesmo do moralismo cristão, de um  ambientalismo difuso, essas coisas todas, é muito simpático. Agora, é assim que ela vai ser presidente da República? Ela quis quando era ministra do Meio Ambiente, minha colega, que o Brasil assinasse um tratado internacional declarando que energia hidráulica, nossas hidroelétricas,  era energia não renovável, o que colocaria na suspeição de insustentabilidade todo o aparato produtivo do Brasil. E ela mudou de ideia? Se mudou, quero saber. E o Aécio ao lado do Fernando Henrique? Exaltando a memória do Fernando Henrique. Quer dizer então que ele vai privatizar o Banco do Brasil, a Caixa Econômica e a Petrobras, ou seja vai completar a "agenda modernizante" do Fernando Henrique. Não acho que ele seja propriamente isso, pois não vendeu a Cemig. Então porque ele está exaltando esse modelo? Ele não se elege exaltando esse modelo. O povo brasileiro quer uma coisa melhor, e o PT é muito melhor, com seus gravíssimos defeitos, do que o PSDB foi.



Na opinião do senhor, uma eleição presidencial que começa agora, um ano antes, não prejudica a economia? Ou, ao contrário, essa antecipação acaba sendo saudável para o País?
A questão básica é a seguinte: a eleição é para o ano da eleição. O que estou falando é para o debate do País. A hora de debater é agora que não tem eleição. Vamos ter clareza. Detesto esse teatro. Eu enjoei foi disso: o PSB votou contra  Renan, portanto discrepou da orientação do governo. O PSB lançou candidato contra  Henrique Alves, na Câmara, portanto também discrepou do governo. E na economia, nós estamos satisfeitos? Eu não estou. Acho que a economia do País está conduzida de forma errada. O momento exige muito maior criatividade e inovação, muito mais audácia...



E o senhor não está vendo capacidade na equipe econômica?
Não estou vendo o debate. É por isso que estou reclamando da falta de ideias, Tudo bem você é aliado, você fala. Tudo bem, sou aliado da Dilma e estou falando. Minha tendência hoje é votar nela. Por coerência, temos ministro no governo - embora não tenha a menor influência na área  estratégica do governo. Nunca fomos chamados para debater nada, e o PSB se conformou com isso, como se fosse um partido fisiológico desses outros tantos que infestam a base do governo. E nós não somos. Nossos seis governadores têm uma vivência. O governo agora vetou a distribuição dos royalties. Para atender a um Estado? E nós vamos ficar calados? Agora vão regulamentar a iniciativa de reforma tributária do senhor Guido Mantega. Isso é destruir o processo de industrialização do Nordeste com a unificação das alíquotas do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviço) para atender exclusivamente ao egoísmo do fisco  paulista. E nós vamos ficar calados diante disso? Eu não fico.



O PSB deveria fechar fileiras contra essa reforma tributária do ICMS?
Sim.



E como está sendo essa discussão dentro do Partido Socialista?
Nunca houve. Qualquer outro tema que você perguntar é a mesma resposta. E o modelo educacional? O Brasil tem 50 milhões de pessoas analfabetas funcionais, 64% da população economicamente ativa. Qual a política industrial de comércio exterior que o Brasil tem? Por que o País faz substituição de importação em navio  tendo que pagar 30% a 40% mais caro do que comprar no Brasil e não faz um complexo industrial? Porque não tem política.



O governador Eduardo Campos convidou a ministra do STJ Eliana Calmon para entrar no PSB e ser candidata a governadora da Bahia pelo partido. Mas a senadora Lídice da Mata é manifestamente candidata ao governo. Isso não seria uma interferência externa?
Confio em você, mas prefiro não comentar esse assunto, porque não o conheço. Agora a tradição do nosso partido não é essas coisas de vir de fora para dentro e empurrar goela abaixo. Isso nunca foi."

Pezão é o cara

Deu no Correio Braziliense:

"A explicação para a dura e extemporânea nota do PMDB fluminense contra a candidatura do senador Lindbergh Farias (PT) ao governo fluminense: a candidatura do vice-governador, Luiz Fernando Pezão, à sucessão de Sérgio Cabral (PMDB) estava fazendo água. Seu estilo interiorano de fazer política estava abrindo espaços para o ataque especulativo do petista junto aos aliados de Cabral.

Pezão até hoje não assumiu publicamente que será candidato e corria o risco de ver sua chance se esvair. A nota do PMDB foi escrita a seis mãos, ou seja, além do presidente do diretório regional, Jorge Picciani, que apareceu como autor do ultimato à cúpula do PT, participaram da elaboração o prefeito carioca, Eduardo Paes (PMDB), e o próprio Cabral, que se encarregou de aliviar o tom.

Noves fora a resposta igualmente dura de Lindbergh, o resultado imediato da atitude da troika peemedebista fluminense foi a conversa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva com Cabral, ontem. Os dois são amigos, mas não chegaram a um acordo. Pezão é o cara de Cabral para a sua sucessão, sem chance de o governador vir a apoiar um candidato do PT; Lula, porém, não pode obrigar Lindbergh a abdicar da candidatura. O petista pode migrar para o PSB e implodir o PT fluminense.
"

Eduardo Campos está na lista dos 25 brasileiros a observar em 2013, do Financial Times

(A) O presidente Nacional do PSB, governador de Pernambuco, Eduardo Campos, figura na lista dos 25 brasileiros a serem observados com atenção em 2013, publicada pela revista dessa semana do jornal britânico Financial Times. Uma das principais publicações de economia e finanças do mundo, o Financial Times escolheu o Brasil como principal assunto de sua revista nessa edição, que está na internet e nas bancas desde sábado (23) e aborda temas que vão do equilíbrio entre o desejo de preservar as florestas e o desmatamento (matéria de capa), até os preparativos do país para receber a Copa do Mundo em 2014 e as Olimpíadas, dois anos depois. Na avaliação da publicação, se os jogos forem bem-sucedidos irão ajudar a selar a imagem do país como uma das potências emergentes do mundo.

É nesse contexto de grandes expectativas que a revista FT criou a lista de 25 brasileiros a serem observados em seis áreas consideradas estratégicas em 2013 – Política, Esportes, Artes, Social, Entretenimento e Negócios. Sobre Eduardo Campos, que a FT aponta como um fenômeno na política brasileira, os motivos elencados para figurar na lista são um registro impressionante como governador de Pernambuco, avaliado como um estado em expansão do Nordeste, e o fato de ser um dos nomes no páreo para o Palácio do Planalto. Segundo a publicação, o líder socialista, embora aliado do PT desde 2002 – no primeiro governo do ex-presidente Lula e, agora, da Presidente Dilma Rousseff - é potencial candidato ao Palácio do Planalto em 2014.

Esta é a segunda vez que o governador Eduardo Campos é citado em uma publicação estrangeira. A primeira ocorreu em uma entrevista perfil publicada na revista The Economist, em outubro do ano passado. A reportagem descreveu o socialista como um gestor moderno. "O importante é que esta citação se refere aos resultados que alcançamos no governo de Pernambuco num momento especial de nossa história. De fato, o Estado vive um momento especial, com relação qualificada entre poder público e sociedade, crescimento econômico acima da média nacional e avanços em todas as áreas sociais", disse Eduardo Campos, em nota comentando sua inclusão na lista dos 25 brasileiros a serem observados em 2013.

Além de Eduardo Campos, também foram selecionados para essa “observação”, por exemplo, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, a presidente da Petrobrás, Maria das Graças Foster, o jogador Neymar e o lutador Anderson Silva,o rapper Criolo, a top Gisele Bündchen e o cineasta Kleber Mendonça Filho. Pernambucano como Eduardo Campos, Kléber Mendonça é autor do longa-metragem O Som ao Redor, que amealha prêmios em festivais nacionais e internacionais e foi destacado pelo jornal The New York Times como um dos 10 melhores filmes de 2012 – ao lado de concorrentes ao Oscar como Amor, de Michael Haneke, Lincoln, de Steven Spielberg, e Django Livre, de Quentin Tarantino. O artista plástico Romero Britto é mais um destaque de Pernambuco na lista dos 25, pelo trabalho que já chegou a mais de 100 países e foi descrito, também pelo New York Times, como "cartum cubista". São três destaques de peso para o estado. (Fonte/Site do PSB Nacional).

Briga na Câmara dos Deputados

O Partido dos Trabalhadores prepararam uma exposição para comemorar os dez anos no poder.

Um painel foi montado com as conquistas ano a ano.

Para parlamentares do DEM, o PT cometeu um equívoco ao não colocar o ano de 2005, quando estourou o escândalo do mensalão, e fez, ele próprio, ou melhor, os deputados do DEM, um painel para provocar os deputados do PT. 

Pirraça? Picuinha? Preocupação com a moral? Não sei.

O fato é que houve bate-bora e empurrões.

Nota: após a confusão, os deputados de todos os partidos aprovaram o fim do 14º e 15º salários.

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Protesto com pitadas de humor cearense contra a TIM

Fora o exagero de um ou outro palavrão, esse vídeo está disparado em compartilhamentos e curtidas no Facebook.

Acorda, TIM.


Nossa luta pela água

Ocupei a tribuna para fazer pronunciamento sobre a nossa luta com a água do poço profundo do Jucuri.

Na semana passada estivemos em Brasília e recebemos do Secretário Executivo a garantia da luta pela distribuição da água.

Já na sexta feira estivemos no Jucuri com o engenheiro José Humberto, do DNOCS, para adiantar o pré-projeto de distribuição para a própria comunidade do Jucuri e mais dez comunidades.

O custo total do poço foi de R$ 1,8 milhão.

Para a distribuição na comunidade do Jucuri e outras 10 serão necessário em torno de R$ 2,1 milhões.

A burocracia já está sendo tratada para convênio e obras.

Lairinho defende que Executivo encaminhe projetos com antecedência

(A) A primeira sessão ordinária do legislativo 2013 da Câmara Municipal de Mossoró foi marcada pela aprovação do projeto que reajusta o salário dos professores da rede pública municipal de ensino. A votação ocorrida nesta terça-feira (26) contou com o voto favorável do vereador Lairinho Rosado (PSB) - (Foto abaixo). Na ocasião, o edil também defendeu que o Executivo encaminhe os projetos com antecedência para que os vereadores possam ter acesso ao teor da proposta.

Em meio à votação, que resultou na aprovação por unanimidade do Projeto de Lei do Executivo que adequa os salários dos professores ao Piso Nacional do Magistério e estabelece o aumento de 7,9% à partir deste mês, o vereador Lairinho Rosado registrou um protesto pelo fato dos edis não terem tido a oportunidade de tomarem ciência do conteúdo da proposta. “O Executivo continua tratando a Câmara como antigamente, mandando projetos de última hora. Até alguns vereadores da bancada governista admitiram que sequer conheciam o teor do projeto”, disse ele se referindo ao projeto de reajuste dos salários dos professores.
Mesmo reconhecendo os benefícios dessa proposta para a categoria, Lairinho reforçou a necessidade de que os vereadores tenham acesso aos projetos à serem votados com antecedência. “É preciso que se mostre respeito com os vereadores dando-lhes oportunidade de conhecer o projeto, por fazer comunicações antecipadas”, afirmou ele.

Os vereadores Luiz Carlos (PT), Genivan Vale (PR), Jório Nogueira (PSD) e Tomáz Neto (PDT) manifestaram apoio ao posicionamento de Lairinho. Eles expressaram que repudiavam essa atitude do Executivo de enviar projetos de última hora.  O professor Luiz Carlos ainda apresentou uma emenda ao projeto de reajuste dos salários dos professores. A alteração estabelecia o retroativo para janeiro e não a database para fevereiro, como consta na proposta do Executivo.

Com 11 votos contrários, a emenda foi derrubada. Apenas os vereadores Lahyre Neto, Genivan Vale, Vingt-Un Neto, Tomaz Neto, Jório Nogueira e Luis Carlos votaram a favor da alteração para que a database fosse janeiro, como determina a Lei federal, e os professores recebessem aumento retroativo à janeiro. Os outros edis votaram contra o destaque, confirmando que os professores devem receber o aumento apenas à partir de fevereiro. A bancada governista alegou que este período foi definido em consenso com a categoria. A sessão desta terça-feira contou com 20 dos 21 vereadores da CMM.

Notas

Na sessão da Câmara Municipal de Mossoró desta terça-feira (26), o vereador Lairinho Rosado (PSB) apresentou cinco Indicações. Dentre elas, estavam a solicitação de providências quanto à recuperação da pavimentação da rua Maria Salem Duarte, no bairro Abolição, e também quanto ao serviço de iluminação pública da rua Manoel Veras, localizada no mesmo bairro.

Na ocasião, o edil também indicou providências quanto à reforma da praça do Conjunto Vingt Rosado, no bairro Rincão, e quanto ao serviço de iluminação pública da rua Campos Sales, no bairro Paredões; além de providências quanto à recuperação da pavimentação da rua José Luiz de Oliveira, no bairro Rincão.

Lindbergh reage a PMDB e diz que sua candidatura no RJ está mantida

Deu no Estadão:


"O senador Lindbergh Farias (PT-RJ) afirmou nesta terça-feira, 26, que "de forma nenhuma" vai retirar sua candidatura ao governo do Rio de Janeiro no próximo ano. Na segunda-feira o diretório fluminense do PMDB cobrou em nota a desistência de Lindbergh e o apoio do PT ao nome do atual vice-governador Luiz Fernando Pezão, sob a ameaça de não garantir palanque para a candidatura à reeleição da presidente Dilma Rousseff no Rio."

Para ler a matéria completa, clique AQUI.

"Ótimo" enquanto não pensa em crescer

O PSB é aliado do PT desde 1989. Esteve sempre ao lado de Lula e Dilma. 

Enquanto ficava ali "sentadinho" sem pensar em crescer, era um "grande companheiro".

Agora, que cogita-se a possibilidade de Eduardo Campos concorrer ao Planalto, transformou-se em alguns adjetivos nada elegantes.

O PT e o PMDB do Rio de Janeiro também trocavam afagos enquanto o PT fluminense ficava ali, caladinho, apoiando o governador Sergio Cabral.

Agora que o senador Lindbergh Farias (PT) bateu o pé e diz que vai ser candidato, o PT do RJ virou um bicho papão e lideranças dos dois partidos trocam "gentilezas".

Nota: nada mais natural que um partido que tenta crescer. O que não se pode é perder a coerência, "mudar de opinião" de acordo com suas conveniências.

Como podemos ter 2º turno, os partidos que possuem linhas de pensamento ou mais afinidades que atritos, podem caminhar juntos. O ideal utópico seria um 1º turno sem agressões, apenas com propostas e, quem receber mais votos, disputa o segundo turno.

terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Projeto que reajusta salário de professores é aprovado

O Executivo enviou hoje um Projeto de Lei ao Legislativo. 

Foi votado hoje mesmo!

Alguns vereadores da bancada governista admitiram que sequer conheciam o teor do projeto.

O aumento é de 7,9%, que tão somente adequa o salário dos professores da rede pública municipal ao Piso Nacional do Magistério.

O projeto foi aprovado por unanimidade.

Emenda
O vereador Luis Carlos (PT), apresentou um destaque para inserir uma emenda ao Projeto original.

A Lei federal fala que a database é em janeiro. O Projeto apresentado estabelece fevereiro.

Lahyre Neto, Genivan Vale, Vingt-Un Neto, Tomaz Neto, Jório Nogueira e Luis Carlos votaram a favor da alteração para que a database fosse janeiro, como reza a Lei federal, e os professores recebessem aumento retroativo a janeiro.

Claudionor dos Santos, Flávio Tácito, Francisco Carlos, Tassyo Mardony, Heró, soldado Jadson, Manoel Bezerra, Narcizio, Genilson Alves, Ricardo de Dodoca, Zé Peixeiro, Celso Lanches e Alex do Frango votaram contra o destaque. Acham que deve receber o aumento apenas a partir de fevereiro.

Governo do Estado contrata consultoria por R$ 3,2 milhões

Deu no Jornal de Hoje:

"O Governo do Estado publicou no final de semana o processo número 484.062/2012-8, com o objetivo de contratar serviços de consultoria econômico-financeira e jurídica. O valor do contrato? R$ 3.243.520,00 por oito meses. A informação foi repassada pelo deputado estadual de oposição, Fernando Mineiro, do PT.

Segundo o contrato, a parceria tem vigência de oito meses, contados a partir da data de assinatura, podendo ser prorrogado em caráter excepcional, devidamente justificado e mediante autorização de autoridade superior. O secretário Estadual de Planejamento e das Finanças, Francisco Obery Rodrigues Júnior, e Renato José Silveira Lins Sucupira, BF Capital Assessoria em Operações Financeira LTDA, empresa contratada, assinaram o contrato no dia 5 de fevereiro. Dessa forma, é possível calcular que o Governo do Estado vai pagar, por mês, R$ 405.440 para a empresa.
A BF Capital Assessoria em Operações Financeiras tem experiência em contratos públicos. No ano passado, o estado do Ceará autorizou diversas empresas interessadas na realização de estudos de viabilidade para projeto de construção, operação e manutenção de sistema de transportes de passageiros sobre trilhos na Região Metropolitana de Fortaleza. E a empresa hoje contratada pelo Governo do RN foi uma delas.
Já em janeiro deste ano, o Estado de São Paulo recebeu duas Manifestações de Interesse da Iniciativa Privada (MIPs) que sugerem uma parceria público-privada (PPP) para a prestação de serviços de logística de remédios em âmbito estadual. Entre as que apresentaram proposta, estava a BF Capital Assessoria em Operações Financeiras.
As propostas pretendem desenvolver um projeto de solução logística para a distribuição de medicamentos à população envolvendo: infraestrutura física, com a reforma e adequação de centros de distribuição; dispensação de medicamentos; infraestrutura tecnológica e prestação dos serviços logísticos correspondentes, como armazenagem e transportes"

sábado, 23 de fevereiro de 2013

Eduardo faz aceno para Eliana Calmon entrar no PSB

Deu no blog do Jamildo:

"Seria uma enorme alegria para o PSB receber uma pessoa da dimensão da ministra Eliana Calmon. Se um convite não foi feito, eu faço agora publicamente". Foram com estas palavras que o governador Eeduardo Campos (PSB) respondeu aos questionamentos sobre a especulação de que ele está articulando o ingresso da ex-corregedora no PSB para disputar do governo da Bahia em 2014. Hoje, ela é ministra do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

De acordo com Eduardo, ele não havia feito um convite reservado à ministra que ficou reconhecida pela sua atuação contundente no Conselho Nacional de Justiça (CNJ), mas ela tem "vários amigos do PSB", com quem "sempre conversou".

"Ela é uma pessoa que tem compromissos com a ética, a justiça e a democracia. Se um dia ela resolver largar a magistratura, ela sabe que o PSB está de portas abertas"."

Frase

"O país não precisa dessa velha rinha, não precisa discutir o passado, discutir coisas que não dialogam com a pauta do povo. A população está preocupada com um Brasil que não cresceu como se esperava. Não vejo como ajudar o Brasil começando uma campanha eleitoral agora" - Eduardo Campos (PSB)

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Luta para levar água para várias comunidades

Essa semana estive em Brasília visitando o Ministério da Integração Nacional para pedir a instalação do sistema adutor para levar água do poço profundo do Jucuri para outras comunidades.

O resultado veio mais rápido do que imaginava.

Hoje pela manhã estive no Jucuri com o engenheiro do DNOCS José Humberto Dantas de Medeiros e já há um levantamento prévio de como a água poderá ser levada.

Um sistema adutor de quase 40km será construído e a água será levada para as casas do próprio Jucuri, Barreira Vermelha, assentamentos Vingt Rosado, Santa Rita, Guarujá, Bela Vista, São José I, São José II, São Cristóvam, Cristal, Cheiro da Terra e Cabelo de Negro.

Serão beneficiadas cerca de 1.200 família que hoje sofrem com a falta d'água.

Já na próxima semana estaremos enviando para o Secretário Executivo do Min. da Integração, Alexandre Navarro, um pré-projeto para ser analisado e o Ministério indicar como e em quanto tempo serão iniciadas as obras.

É muito gratificante ver o fruto de nosso trabalho ajudando as famílias mais necessitadas de Mossoró.

Como costumo dizer: luta nossa, vitória de todos.

Nota: o poço, um sonho de quarenta anos, tornou-se realidade graças à luta das deputadas Sandra e Larissa Rosado e de nosso mandato.

Está lá, pronto para funcionar. É uma realidade.

Sandra defende indústrias salineiras junto ao IBAMA

Diante da “Operação Ouro Branco” desencadeada pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA) em indústrias salineiras do Rio Grande do Norte, a deputada federal Sandra Rosado solicitou audiência ao superintendente do órgão no RN, Alvamar Costa de Queiroz, para tentar uma alternativa que minimize possíveis prejuízos. 

Até o momento o Ibama já aplicou mais de R$ 46 milhões em multas; foram 54 autos de infração, 11 embargos e 20 notificações que atingiram cerca de 16 empresas. “Multas desse montante pode tornar a atividade salineira insustentável e acarretará prejuízos incalculáveis. Precisamos defender o setor e principalmente os empregos gerados”, enfatiza Sandra Rosado. 

Para a deputada, o Ibama precisa antes de tudo fornecer algum tipo de orientação e um prazo para que as industrias cumpram as exigências. “Acredito que a ação está ocorrendo de modo equivocado por isso vou conversar diretamente com o superintendente, e se for o caso formaremos uma comitiva e iremos a Brasília conversar com o presidente do órgão”, diz Sandra Rosado. 

De acordo com Sindicato da Indústria da Extração do Sal no Rio Grande do Norte, a indústria salineira potiguar é responsável por 95% do sal consumido no país e gera no estado 15 mil empregos diretos e 500 mil indiretos.

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Sobre nosso trabalho na zona rural

Recebi um comentário aqui no blog e vou comentá-lo trecho a trecho.


Os trechos em itálico são do comentário de Inácio.



Recentemente o Professor J. Romero publicou um artigo no blog do Carlos Santos retratando o quadro de miséria que atinge estas comunidades. 
Sem o uso de eufemismos, disse com todas as letras que a FOME estava presente em vários distritos mossoroenses. Deu para constatar este quadro? Existe falta de alimentos na área rural de Mossoró.


Sim, Inácio. Não é difícil perceber isso.


Você entrou nestas casas humildes e observou se tinha panela no fogo? Qual o aspecto das crianças? Ou você fez como a maioria dos políticos que sequer desce do carro com medo do cheiro de pobre? E quando desce é em época de eleições para arrancar retrato de candidata adversária, como fez a Governadora? Isto a imprensa publicou, inclusive com fotos que comprovam o "esquecimento" da liturgia do cargo, além de outras coisas.


Inácio, as reuniões são nas casas das pessoas. Faço isso desde antes de assumir o mandato de vereador.


Este poço no Jucuri é uma benção dos céus para esta gente. Se você lutou por ele, tenha cuidado com os famosos garupeiros. Eles aparecem sempre se dizendo o pai da criança e tomando para si o resultado do trabalho alheio. Isto acontece em todas as áreas. Eu fosse você, voltaria lá e falaria do esforço que agora está realizando para a construção do sistema adutor. E seria muito bom que a Dep. Larissa Rosado fosse junto. 


Não tenho a pretensão de ser pai, irmão ou tio de conquistas que levem o bem à população, principalmente a mais carente. Já estive no Jucuri algumas vezes depois de iniciado o trabalho do poço. Hoje tem água vertendo lá.


Falar nesta Deputada, é a primeira notícia que leio ou ouço nestes últimos tempos sobre ela.
Não seria o caso da Larissa Rosado pensar em divulgar melhor o que faz em prol dos mossoroenses?


O poço do Jucuri foi conseguido graças à luta de Larissa, Sandra e de nosso mandato. A deputada tem feito muito por Mossoró, porém como deputada, suas ações dependem da boa vontade do Executivo para que sejam concretizadas, como por exemplo as emendas no Orçamento para construção de complexo esportivo no Abolição ou instituições como Amantino Câmara, APAE e casas de acolhimento de dependentes químicos.


Volte ao Jucuri e a todos estes distritos, desça do carro, entre nas casas, da maneira como você faz quando está em campanha, e conte tudo isto aos moradores. Faça isto antes que algum garupeiro adote este poço profundo.


Acho que já respondi acima. Já voltei algumas vezes nestas comunidades. Ah, e essas visitas foram depois do período eleitoral. A última foi em fevereiro de 2013.


Comentário já está por demais longo. 
Noutro prosseguirei tentanto lhe passar algumas sugestões sobre o problema da fome na área rural de Mossoró e como minimizá-lo.
Inácio Augusto de Almeida
MARCHA POR MOSSORÓ, DIA 9 DE MARÇO, 9 HORAS, PRAÇA DO PAX.
E neste sábado, início da campanha COMBUSTÍVEL MELHOR PREÇO, Praça do Mercado do Alto da Conceição.

terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

Ausência justificada

Para saber o porque de eu não ter ido para a sessão de hoje e nem para a de amanhã, basta ler o texto abaixo.

O que falarem além disso, é pura sacanagem.

Mais água para a zona rural de Mossoró

Há alguns meses, juntamente com a deputada federal Sandra Rosado e a deputada estadual Larissa Rosado, estive em Brasília para pedir, lutar por um poço profundo para a comunidade do Jucuri.

Hoje, esse sonho de tantas décadas é realidade. Tem o poço profundo lá.

Agora, a nossa luta é para levar essa água para outras comunidades.

Como sempre faço desde o começo do primeiro mandato, visito as comunidades para saber como posso contribuir para a melhoria de vida daquelas pessoas.

Há poucos dias estive visitando a zona rural de Mossoró, mais precisamente Riacho Grande, Cheiro da Terra, Terra Nova, São José, dentre outras comunidades.

Um dos pedidos foi a de que a água do poço do Jucuri pudesse chegar àquelas comunidades.

É exatamente isso que vim fazer em Brasília. Lutar para que o Ministério da Integração Nacional possa implantar um sistema adutor para levar água para quem precisa.

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

Transparência na pauta do Congresso

Deu no Estado de São Paulo:

"A passagem da Lei de Acesso à Informação pelo Congresso parece ter inspirado projetos recentemente apresentados por deputados e senadores. No decorrer de 2012, um ano após a discussão em torno da nova lei ganhar destaque no País, triplicou o número de proposições que abordam mecanismos de transparência de órgãos públicos ou formas de acesso a dados do governo, assuntos raramente lembrados até então. Para especialistas, mudança é reflexo também do avanço das tecnologias e do acesso à internet.
Abaixo, veja um resumo das propostas apresentadas por deputados e senadores e a relevância dos projetos para aumentar a transparência dos órgãos públicos e facilitar o acesso às informações. Todos estão em fase de tramitação:
No Senado
• Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 3
Estabelece a obrigação dos órgãos e entidades públicas de divulgar a remuneração de servidores.
Autor: Roberto Requião (PMDB-PR) e outros
Avaliação: Irrelevante. Divulgação já é assegurada por outros dispositivos legais.

• PEC 13
Propõe que as informações bancárias, patrimoniais e fiscais de candidatos a cargos eletivos sejam colocadas à disposição de órgãos de fiscalização e controle.
Autor: Cristovam Buarque (PDT-DF) e outros
Avaliação: Pode ajudar o TSE, mas interfere pouco em questões de transparência já que dados seria ficariam com órgãos de controle.

• Projeto de Lei 141
Veda o segredo de justiça nos procedimentos investigatórios e processuais em que agente público seja investigado ou acusado.
Autor: João Capiberibe (PSB-AP)
Avaliação: Relevante. Dá mais publicidade aos atos do Judiciário.

• Projeto de Lei 186
Acrescenta à Lei de Acesso à Informação trechos para disciplinar a divulgação da remuneração e do subsídio dos agentes públicos.
Autor: Eduardo Lopes (PRB-RJ)
Avaliação: Irrelevante. Tema já consta em decretos que regulamentaram a LAI.

• Projeto de Lei 417
Propõe novas normas de transparência e controle na aplicação de recursos públicos em caso de calamidades públicas.
Autor: Rodrigo Rollemberg (PSB-DF)
Avaliação: Relevante, embora não proponha mecanismos para o público comum ter acesso às informações.

CÂMARA
• Projeto de Lei 4919
Estipula as informações mínimas sobre as entidades sem fins lucrativos, beneficentes ou não, que devem estar disponibilizadas para consulta pública nos sites de ministérios.
Autor: Francisco Praciano (PT-AM)
Avaliação: Relevante. Disponibiliza mais dados sobre destino de recurso público.

• Projeto de Lei 4866
Determina divulgação dos valores gastos com publicidade por órgãos e entidades da Administração Pública federal.
Autor: Paulo Pimenta (PT-RS)
Avaliação: Relevante. Exigência poderia ser ampliada aos governos estaduais e municipais.

• Projeto de Lei 4865
Estabelece a obrigatoriedade da publicação do valor total de recursos públicos recebidos e do porcentual no custo total das propagandas governamentais em eventos culturais.
Autor: Paulo Pimenta (PT-RS)
Avaliação: Pouco relevante para o tema do acesso a informações

• Projeto de Lei 4863
Altera artigo da Lei de Acesso e institui normas para relativas a atos de governos estaduais e municipais.
Autor: Jesus Rodrigues (PT-PI)
Avaliação: Relevante por detalhar temas ainda não previstos na lei.

• Projeto de Lei 4819
Estabelece obrigatoriedade disponibilizar, em local visível e de fácil acesso ao público, exemplar da Lei de Acesso à Informação.
Autor: Miguel Corrêa (PT-MG)
Avaliação: Relevante por divulgar a lei, mas poderia prever treinamentos e cursos a servidores.

• Projeto de Lei 4110
Altera os Códigos de Processo Civil e de Processo Penal para assegurar transparência às audiências informais concedidas, pelos magistrados, às partes envolvidas e seus representantes.
Autor: Rodrigo Garcia (DEM-SP)
Avaliação: Relevante. Amplia transparência nos atos do Judiciário.

• Projeto de Lei 4074
Acrescenta à Lei de Acesso que órgãos judiciais disponibilizem na internet a íntegra todos os despachos e decisões, salvo aqueles em segredo de justiça.
Autor: Pedro Novais (PMDB-MA)
Avaliação: Relevante. Amplia transparência nos atos do Judiciário.

• Projeto de Lei 3934
Estabelece que órgãos públicos informem a participação, quando houver, de agências de propaganda em publicidade de campanhas e atos da administração.
Autor: Renan Filho (PMDB-AL)
Avaliação: Relevante por ampliar despesas com propaganda.

• Projeto de Lei 3757
Exige divulgação de contratos firmados pela administração pública.
Autor: Mendes Thame (PSDB -SP)
Avaliação: Relevante por reforçar a transparência na Lei de Licitações.

• Projeto de Lei 3750
Obriga a transmissão ao vivo, por meio da Internet, no Portal da Transparência, do áudio e vídeo das licitações públicas.
Autor: Zeca Dirceu (PT-PR)
Avaliação: Relevante por reforçar a transparência na Lei de Licitações.

• Projeto de Lei Complementar 177
Estabelece normas para transparência, controle e fiscalização da execução de parcerias e convênios entre órgãos públicos e ONGs.
Autor: Esperidião Amin (PP-SC)
Avaliação: Relevante por elevar o controle sobre destino do recurso público, mas excesso de exigências pode dificultar implementação.

• Projeto de Lei 3546
Exige divulgação dos critérios adotados para revisão de tarifa de transporte público coletivo.
Autor: Ivan Valente (PSOL-SP)
Avaliação: Relevante por tratar de temas cotidianos, embora a Lei de Acesso possa dar conta dessa exigência.

• Projeto de Lei 3089
Dispõe sobre transparência nos gastos com pessoal de todos os Poderes, Ministério Público e Tribunais de Contas, incluindo administração direta e indireta.
Autor: Eduardo Cunha (PMDB-RJ)

Avaliação: Irrelevante. Tema já é previsto em decretos que regulamentaram a Lei de Acesso"

Escolha do novo desembargador pode oficializar rompimentos com o Governo

Deu no blog de Eliana Lima:

"Final de semana nervoso nas searas políticas ainda aliadas ao Governo Rosa(do).

Insatisfação e brados nada amigáveis de partidos ‘aliados’ diante da açodada escolha do advogado Glauber Rego para desembargador do Tribunal de Justiça, pelo Casal Rosado.
Todas as portas de diálogo fechadas, comenta-se que foi a última gota d’água para o propalado rompimento que ainda não se oficializou.



- “Foi uma força traiçoeira e rápida como agiram. Não deram, sequer, ouvidos a aliados, que ainda tentaram conversar sobre o assunto do Quinto (Constitucional)”, disse um alto coturno ao blog.



Continuou: – “Não há mais espaço para tanto desgates”.



É aguardar. Se."

Dilma quer Garibaldi no Governo

Deu na Folha de São Paulo:

"Na costura - Garibaldi Alves (PMDB), ministro da Previdência, deverá disputar o governo do Rio Grande do Norte. Na campanha, ele apoiará a candidatura da atual deputada federal Fátima Bezerra (PT-RN), que disputará o Senado.

Ultimato - A chapa encabeçada pelo ministro selará o rompimento com o DEM em seu Estado, uma cobrança da presidente Dilma."

domingo, 17 de fevereiro de 2013

Marcha por Mossoró

Hoje, recebi esta mensagem que copio abaixo:

"MARCHA POR MOSSORÓ,

Conforme foi decidido hoje através de votação dos participantes, acontecerá no dia 9 de março, 9h, concentração na Praça do PAX. 

Sem nenhuma conotação política, a MARCHA POR MOSSORÓ objetiva levar ao conhecimento dos reponsáveis pela administração de Mossoró os problemas mais graves e que tantos transtornos causam a todos os mossoroenses. 

Contando apenas com o apoio dos participantes esta MARCHA POR MOSSORÓ será apenas a primeira de uma série de manifestações populares que irão acontecer em Mossoró. 

Inácio Augusto de Almeida"

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Manoel Bezerra líder da bancada governista na CMM

O vereador Manoel Bezerra de Maria (DEM) será o novo líder da bancada governista na Câmara Municipal de Mossoró.

Até o ano passado, o líder era Claudionor dos Santos (PMDB).

PSB começa a traçar estratégias para possível candidatura de Eduardo Campos

Deu na Folha de São Paulo:

"Ô abre alas - O PSB começa a montar palanques estaduais para dar suporte à possível candidatura presidencial de Eduardo Campos em 2014. Inicialmente candidato ao Senado, o líder do partido na Câmara, Beto Albuquerque, pode concorrer ao governo do Rio Grande do Sul. "O projeto nacional se sobrepõe aos locais. A candidatura do Eduardo já botou o bloco na rua", diz. Além dos seis governadores que tentarão a reeleição, o PSB estima ter o mesmo número de candidatos viáveis.

Petit comité - Campos promove reuniões periódicas em Recife e Brasília com Albuquerque, Rodrigo Rollemberg (DF), líder no Senado, Carlos Siqueira (MA), secretário-geral da sigla, e Roberto Amaral, vice-presidente. A ideia é ajustar o mapa eleitoral socialista às pretensões do governador em 2014."

Leonardo líder pela primeira vez

Cumprindo o seu segundo mandato de deputado estadual, o médico Leonardo Nogueira será o líder da bancada do DEM na Assembléia Legislativa.

Antes, o partido não tinha assento no Colégio de Líderes, mas como a cassação do mandato de Dibson Nasser (PSDB) e ascensão de José Adécio (DEM), que era suplente, ao cargo de deputado, o partido da governadora agora tem vez e voz.

Nota: prestígio do deputado junto ao governo e ao partido.

O líder do Governo na AL continua sendo o também médico Getúlio Rêgo.

Governo perde mais uma na AL-RN

Os dois principais papéis do Poder Legislativo é fiscalizar o Executivo e criar ou alterar Leis.

Um dos momentos mais importantes é exatamente a análise da Lei Orçamentária Anual, quando o governo envia um projeto que, em resumo, diz quanto acha que vai arrecadar e como e onde pretende gastar o dinheiro.

O Legislativo pode alterar a LOA através de emendas. O Executivo pode aceitá-las ou vetá-las. No segundo caso, a LOA vai mais uma vez para o Legislativo, que tem a palavra final para dizer se as emendas continuam ou não.

O que o Executivo estadual tentou fazer essa semana com uma convocação extraordinária para votar uma "recomposição" de algo em torno de R$ 1,2 bilhão. Mas como votar "recomposição" se a tramitação da LOA não está concluída? Como alterar uma Lei que ainda não está em vigor? Que ainda não existe na prática?

Graças à insistência da oposição, os deputados ficaram certos de analisar qualquer alteração apenas depois da apreciação dos vetos, o que deve acontecer na próxima terça.

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

Pausa para o carnaval

Peço licença aos que acompanham o blog para uma pequena pausa de alguns dias...

Motivo: carnaval.

Desejo a todos os foliões que aproveitem com muita tranquilidade, sem brigas ou qualquer tipo de violência, sem mistura de álcool e direção, sexo seguro e muita, mas muita alegria mesmo!

Aos que não curtem tanto a folia, que aproveitem o tempo livre para reflexão, estudo e/ou relaxamento.

Frase

"Dirceu, Genoino e Delúbio foram condenados sem provas. Eu fui condenado contra as provas. Isso não é mensalão, é 'mentirão'." - Deputado João Paulo Cunha (PT)

Pavimentando 2014

Deu na coluna de Ilimar Franco:

"O presidente do PSB, Eduardo Campos, orientou ontem os líderes no Senado, Rodrigo Rollemberg (DF), e na Câmara, Beto Albuquerque (RS), a não entrarem no jogo de interesses do PT e do PMDB. Acha que 2013 é ano de o PSB marcar posição. De temperamento calmo, comentou que o ex-presidente Lula está muito afobado para encontrar solução eleitoral para 2014"

Henrique atenuou discurso

Os discursos de despedida de Marco Maia (PT) e de posse de seu sucessor na presidência da Câmara dos Deputados, o deputado potiguar Henrique Alves (PMDB), foram de críticas ao Supremo Tribunal Federal.

Ambos deixaram entender que não cumpririam decisão so STF sobre a cassação dos deputados condenados pelo Mensalão.

Ontem, ao sair de uma visita que fez ao ministro Joaquim Barbosa, presidente da corte suprema, Henrique disse que quem estivesse pensando que ele não cumpriria decisão, poderia tirar o "cavalinho da chuva", ou seja, que não existia crise em Legislativo e Judiciário e que as decisões seriam cumpridas.

PSB desautoriza Lula a envolver partido nas negociações para 2014


Deu no jornal O Globo:

Do projeto político do PSB para 2014, cuida o PSB. O aviso foi dado ontem por interlocutores do governador pernambucano e presidente do PSB, Eduardo Campos. Enquanto o ex-presidente Lula, como articulador do PT, traça todo tipo de cenário com o intuito de tirá-lo da disputa com a presidente Dilma Rousseff, inclusive acenando com o escanteio de Michel Temer e do PMDB na chapa para acomodá-lo como vice em 2014, o governador madrugou nesta quinta-feira em Brasília para se reunir com a cúpula do partido e traçar sua própria estratégia e um plano de trabalho político para 2013.


Como Lula, que pretende retomar suas caravanas pelo país em maio, e Dilma, que já está na estrada, Eduardo Campos percorrerá estados brasileiros a partir de abril, para participar de seminários e debates com setores diversos da sociedade sobre o que pode ser o embrião de um programa de governo. Nas reuniões internas do partido, estes encontros já foram batizados de “Diálogos do Desenvolvimento”. E os objetivos começam a ser traçados: além do novo federalismo, propor políticas de industrialização e geração de empregos que possam tirar mais rapidamente os pobres da dependência dos programas assistenciais, marca do governo petista.

Eduardo Campos não admite que esteja numa espécie de pré-campanha. Todo esforço, diz, é para consolidar o crescimento do partido. Mas nas reuniões de ontem com o comando do PSB ficou claro o desconforto dele e de outros dirigentes com o que classificam, reservadamente, como uma tentativa de Lula de atropelar e tumultuar o jogo.

O governador chegou a Brasília às 3h30m da madrugada e teve um café da manhã com colegas da Executiva. Nas conversas políticas, Eduardo Campos mostrou estranheza com as articulações de Lula sem que o ex-presidente tenha falado com ele. À tarde, após sair de uma audiência no Ministério do Planejamento, disse ao GLOBO:

— Não discuti 2014 com ninguém. Tudo que o Brasil não precisa agora é ficar montando palanque e chapa. Podemos ter em 2014 um ano melhor que 2013, mas primeiro precisamos ganhar 2013. O que precisamos montar agora é canteiro de obras, gerar empregos.

À provocação de que petistas tentam empurrar sua entrada na corrida presidencial para 2018, Eduardo Campos joga a cabeça para trás e responde com um sorriso silencioso de quem quer dizer: não posso esperar tanto tempo. Diplomático e cuidadoso, não diz que sim nem que não. Seus colegas de partido, no entanto, estão autorizados a falar.

— Respeitamos o presidente Lula e não temos como controlar o que ele fala. Mas nosso compromisso é o de fortalecer nosso partido. E o nosso propósito, claro, é fortalecer nosso principal líder: Eduardo Campos — afirmou Carlos Siqueira, integrante da Executiva Nacional do PSB, após a reunião com o governador.

A avaliação feita entre os integrantes da Executiva é que o PSB capitalizou politicamente as eleições para os presidentes do Congresso, saindo em vantagem em relação ao PT e ao PSDB, que se aliaram para eleger Renan Calheiros (PMDB-AL) presidente do Senado, e Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), presidente da Câmara. O PSB bancou a candidatura de Júlio Delgado (PSB-MG) na Câmara, contra o favorito Henrique Alves — apoiado por 20 partidos governistas e de oposição —, que obteve surpreendentes 165 votos.

— A votação de Júlio Delgado só não foi melhor porque não ganhou — comentou Eduardo Campos, rindo muito.

Ele disse que não falaria sobre a participação do PSDB no processo, mas ressaltou que o PSB teve uma posição muito clara em defesa da renovação e do fim da velha maneira de fazer política:

— Na Câmara, disputamos com um candidato jovem, que representava a renovação. Tivemos uma votação muito bonita, que surpreendeu muita gente. Lá, expressamos uma posição muito clara em defesa da renovação do jeito de fazer política. Não foi possível vencer. Mas se plantaram ali ideias para o futuro.

Alfinetando o pré-candidato tucano em 2014, Aécio Neves (PSDB-MG) — que no Senado defendeu o voto em Pedro Taques (PDT-MT), mas não fez discurso no dia da eleição —, Campos lembrou que os quatro senadores do PSB subscreveram um documento público defendendo a renovação e foram à tribuna contra Renan Calheiros.

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

Visitando...

O presidente da Câmara dos Deputados começa o mandato visitando...

Hoje pela manhã visita a presidenta Dilma Rousseff e à tarde visita o presidente do STF, ministro Joaquim Barbosa.

Nota: esses dias, Henrique recebeu um telefonema do ex-presidente Lula. Combinaram encontro para o fim do mês.

Aliado de Marina Silva defende aproximação com Eduardo Campos

O deputado federal Alfredo Sirkis (PV), coordenador da campanha de Marina Silva à presidência em 2010, defende a aproximação com o governador de Pernambuco e presidente nacional do PSB Eduardo Campos.

Segundo o deputado, é preciso ter candidaturas fortes defendendo um novo modelo de gestão, moderno e preocupado com a sustentabilidade.

Nota: Marina saiu do PV e está criando um novo partido. Algumas lideranças nacionais já sinalizaram que vão seguí-la.

Estado tem conta bloqueada

O desembargador Saraiva Sobrinho determinou bloqueio de R$ 5,5 milhões das contas do Governo do Estado para pagamento do pessoal da Fundação José Augusto.

Tem outras categorias exigindo a implantação dos Planos de Cargos, Carreira e Remuneração.

Para mais notícias, clique AQUI.

Nota: a atual gestão tem se notabilizado por não cumprir ordens judiciais e desprezar outros poderes.

Onde isso vai parar? Só Deus sabe.

terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

Dilma e Eduardo

Deu em Ilimar Franco, O Globo:

"Na cabeça do ex-presidente Lula, a eleição de 2014 está resolvida: o governador Eduardo Campos (PE-PSB) será vice da presidente Dilma e o vice, Michel Temer (PMDB), concorrerá a governador de São Paulo. Lula tem dito a amigos que a polarização PT-PSDB se esgotou e que é hora de seu partido entregar a cabeça de chapa no maior estado do país. Só falta combinar com todos os envolvidos."

Bastidores das eleições do Congresso

Deu na coluna Painel, Folha de São Paulo:

"Bode... Aliados de Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) dizem que o candidato à presidência da Câmara esteve ao menos quatro vezes com Inocêncio Oliveira (PR-PE) no fim de semana para tentar dissuadi-lo de disputar a presidência da Câmara.



... na urna Para aumentar a insegurança do QG peemedebista, deputados foram bombardeados com uma enquete por SMS em que o deputado do PR aparecia na cédula de cinco candidatos.



Flutuante Estimativa que chegou ao Planalto no fim da noite de ontem dava conta de 250 votos a favor de Alves, o que tornaria real a chance de haver segundo turno. Já cabos eleitorais do peemedebista garantiam que ele teria apoio de 350 deputados.



Pânico... Não bastasse a tensão política da escolha do novo líder do PMDB, ontem, o vice-presidente da Caixa, Geddel Vieira Lima, viveu um filme de terror particular: ficou 30 minutos preso num dos elevadores da Câmara.



... em Brasília Depois de mandar pedidos de socorro pelo celular, Geddel foi resgatado, suando e sem camisa, ainda a tempo de acompanhar a votação da bancada.



Day after Mais de 200 empresários se reúnem na CNI, em Brasília, amanhã e quarta para definir as 130 propostas que vão compor a Agenda Legislativa da Indústria, que será lançada em abril.



Mea culpa 1 Consumada a vitória de Renan Calheiros (PMDB-AL) no Senado com evidente apoio de tucanos, Aécio Neves (PSDB-MG) avaliou que errou ao não discursar para marcar a posição do partido no dia da votação.



Mea culpa 2 Diante da debandada tucana, que fragiliza seu discurso de presidenciável, Aécio diz que os senadores que não seguiram a orientação de votar em Pedro Taques (PDT-MT) "não entenderam que o PSDB tem de se comportar de maneira diferente, mostrar que tem outro projeto para o país".



Verão passado Em agosto, quando ensaiou a candidatura de Edson Lobão à presidência do Senado, o Planalto já sabia do plano do procurador-geral da República, Roberto Gurgel, de apresentar denúncia contra Renan ao Supremo Tribunal Federal.



Fica fria Segundo interlocutores, avisado sobre a preocupação, o recém-eleito presidente do Senado respondeu a emissários do Planalto que não se preocupassem, porque a denúncia não tinha chance de prosperar."

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

Ao disputar liderança do DEM, Betinho perdeu por 22 a 1

Deu no blog do Jamildo:

"O deputado federal pernambucano Mendonça Filho (DEM) não será o líder do seu partido na Câmara Federal este ano. Em votação neste domingo (3), o Democratas escolheu Ronaldo Caiado (GO), vice-líder no ano passado, para comandar a bancada.

Normalmente a escolha é feita por acordo. No entanto, o potiguar Betinho Rosado pediu para disputar a vaga, mas acabou derrotado por 22 votos a um. Cotado para a vaga, o pernambucano Mendonça Filho acertou com a sigla para ser o líder em 2014, ano em que os parlamentares federais tentam reeleição.

Após a criação do PSD, presidido pelo ex-prefeito de São Paulo Gilberto Kassab, o Democratas viu sua bancada ser reduzida para apenas 28 deputados."

Eduardo Campos lança pacote para prefeitos

Deu no Jornal do Commercio:

"De olho nas queixas sobre as dificuldades financeiras que atingem os municípios, o governador Eduardo Campos (PSB) planeja anunciar um "pacote de bondades" aos prefeitos das cidades pernambucanas.

Em que pesem as incertezas sobre o quadro fiscal do Estado, em 2013, o governo estuda formas de aliviar a carência de recursos nas administrações municipais e, com isso, fortalecer o alinhamento político com os gestores.

Na esfera nacional, Eduardo tem se colocado como um dos principais porta-vozes da necessidade de um novo pacto federativo, além de dirigir críticas às políticas de desonerações setoriais praticadas pelo governo federal que terminam por ocasionar a queda na arrecadação de Estados e municípios.

Ainda não foi divulgado, no entanto, como o Executivo estadual pretende abrir essa nova janela de recursos para as prefeituras. O assunto é tratado com cautela pelo governador.

Ele não quer que se repita o mesmo desfecho que teve o anúncio de "socorro financeiro" feito pela presidente Dilma Rousseff, na semana passada, em Brasília, a dois mil prefeitos do País. Após criar grandes expectativas, o governo federal frustrou os gestores ao assegurar a distribuição de R$ 66,8 bilhões aos municípios, sem tocar na principal reivindicação: o aumento do repasse do Fundo de Participação dos Municípios (FPM).

"Vamos anunciar um conjunto de medidas para ajudar as prefeituras. Estamos em um momento delicado, do ponto de vista econômico e é necessário que façamos algo que possa minimizar as dificuldades dos municípios", afirmou o governador, durante o Baile Municipal, no sábado (2).

O anúncio do pacote está programado para os dias 21 e 22 de fevereiro, quando haverá a reunião, organizada pela Casa Civil, com os 184 prefeitos do Estado.

De acordo com o secretário da pasta, Tadeu Alencar, o evento servirá para apresentar também ferramentas já existentes para incrementar as receitas dos municípios, como o cumprimentos de metas nas áreas como Educação, Saúde e Meio Ambiente.

Outro objetivo do Palácio é afinar as políticas públicas das gestões municipais com as ações do governo a fim de potencializar a agenda positiva que Eduardo quer sustentar em sua administração, visando 2014."