segunda-feira, 11 de março de 2013

Lairinho volta à cobrar ações de combate ao aumento da violência


(A) “A segurança pública é responsabilidade de todos.” Com essas palavras, o vereador Lairinho Rosado (PSB) reforçou a luta do seu mandato contra a criminalidade e voltou à cobrar ações de combate ao aumento da violência. O posicionamento do parlamentar foi exposto na última quarta-feira (06) em pronunciamento na sessão da Câmara Municipal de Mossoró.Durante cerca de dez minutos Lairinho ocupou a tribuna da CMM e tratou sobre a questão da segurança pública à nível estadual e, especialmente, municipal. Após cumprimentar todos os presentes, o vereador iniciou sua fala lembrando que na sessão do dia anterior a temática também foi abordada por vários edis. 

Logo em seguida, o parlamentar do PSB apresentou uma série de estatísticas sobre o número de homicídios. Com base em dados publicados em uma matéria da edição da semana passada do jornal natalense, Tribuna do Norte, Lairinho expôs que o quadro de violência continua preocupante. “No Rio Grande do Norte, de 2006 à 2013 foram registrados 863 homicídios. E Mossoró já contabiliza neste ano 27 assassinatos”, informou o parlamentar, detalhando outros dados levantados pela reportagem do TN junto ao site da Secretaria de Segurança Pública do RN. Diante do quadro, Lairinho aproveitou a ocasião para cobrar ações em prol da segurança pública. 

“É preciso cortar o mal pela raiz. E isso o Estado e nem a Prefeitura tem feito”, defendeu ele.  “Faltam investimentos na área. Tem mais recursos para propaganda do que para ações de combate à criminalidade. Não vejo nem campanhas educativas locais sobre combate às drogas”, continuou o vereador, reforçando a omissão do poder público. Para Lairinho é preciso um trabalho integrado de prevenção, repressão e de recuperação. “O policiamento ostensivo é importante, mas precisa também de prevenção. Além de postos policiais e estrutura para a polícia civil e para o Itep, é necessário também de ações como colocar guarda civil em escolas para tentar coibir ações de vandalismo”, finalizou.

Nenhum comentário: