quinta-feira, 14 de março de 2013

Larissa defende na AL novo IFRN em Mossoró

(A) Em Mossoró, ricos concentram 62,8% de toda a renda, e os mais pobres, apenas 2,3% (IBGE, 2010). Para diminuir essa desigualdade, jovens precisam de educação profissional eficiente, e a expansão do IFRN é um dos caminhos.
A demanda foi apresentada na Assembleia Legislativa, hoje (14), pela deputada estadual Larissa Rosado (PSB), que, em pronunciamento no plenário, justificou a necessidade de mais um campus do IFRN em Mossoró.
Ela também apresentou requerimento e iniciou contatos com bancada federal do RN nesse sentido, reforçando mobilização interna no Instituto, articulada pelo professor Josué Moreira e resultante em pré-projeto do novo campus.
 Aproximando
Larissa argumenta que o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte, inaugurado em Mossoró há 18 anos, ampliaria significativamente benefícios à cidade e Região Oeste, se tivesse outra unidade no município.
A única sede fica numa zona com baixa população, e a zona oposta (Norte), para onde é pleiteado o novo campus, polariza os bairros mais populosos e com maior número de imóveis (Santo Antônio, Abolições, entre outros).
“Portanto, a maioria e os mais pobres são os mais distantes geograficamente do campus, e não há linhas de ônibus específicas, confiáveis e suficientes para atender a necessidade de acesso ao atual IFRN”, justifica Larissa.
Oportunidades
Ela acrescenta ser alta a concorrência por vaga em todos os cursos, e que o novo campus ajudará a resolver essa demanda reprimida, além de permitir criação de novos cursos para suprir carência técnica em vários setores econômicos.
Entre eles, Técnico em Agricultura, Agroecologia, Agronegócio, Agropecuária, Fruticultura, Recursos Minerais, Arte, Comunicação Visual, para atender produção de frutas, sal, cultura; assentamentos rurais, indústria cerâmica e outros.
“O novo campus também gerará empregos federais em Mossoró, funcionará contra violência e pobreza, enfim, uma ferramenta poderosa para ajudar na mudança do quadro de desigualdade que impera no município”, argumenta Larissa. (Fonte: Assessoria de Comunicação Larissa Rosado).

 



Nenhum comentário: