sábado, 9 de março de 2013

O que restará no pós Copa

Deu na coluna de Eliana Lima, Tribuna do Norte:

"»Legado...
Em novembro, o Governo apresentou o belo projeto de ampliação e reestruturação da Av. Eng. Roberto Freire, uma das três obras de mobilidade para a Copa de 2014. Não mais se falou sobre. Nada de projeto executivo pronto, nem licença ambiental, nem licitação...

»...Temerosamente...
A coluna conversou com um especialista que tem conhecimento sobre o projeto (prefere não se identificar). Duvida que a obra seja concluída até 2014. Se o governo seguisse a opção da gestão passada, projeto com menos intervenções, orçado em R$ 90 milhões (resolveria o problema do trânsito no local por oito anos), viabilizaria. Mas mudou para o mais pomposo e oneroso, superior a R$ 220 milhões.

»...Ameaçado
O especialista explica que o mínimo de tempo que uma licitação de tal volume demora para se concluir são seis meses. Para contratar, outro tempo. Até o início da obra, mais um tanto. A partir daí, somem mais um ano e meio a dois anos para conclusão. Reforçou que du-vi-da que a ampliação da Av. Roberto Freire fique pronta para o mundial.

»Possível
O especialista acredita que a única das propaladas obras legado da Copa do Mundo que vingará é a drenagem do Centro Administrativo, que resolverá o problema de cinco lagoas. Além, claro, do pomposo estádio Arena das Dunas.

»E aí?
Sem as obras de mobilidade urbana, como será possível a realização dos jogos da Copa em Natal? O especialista disse que a solução será feriado nos dias de disputa, assim, ruas desafogadas do intenso trânsito. Também, a criação de bolsões de estacionamentos.
É."

Nenhum comentário: