segunda-feira, 20 de maio de 2013

"Caixa Preta" da publicidade parcialmente aberta

Deu no Blog do Dinarte:

"A guerra eleitoral travada no território Jurídico pelo direito ao assento do Palácio da Resistência, ganhou um capítulo que vai fazer fervilhar o País de Mossoró.
O delicado assunto dos números da comunicação institucional foi parar na mesa do juiz eleitoral Verlano Medeiros, relator da ação que pede a cassação da prefeita Cláudia Regina (DEM).
Veja aqui a peça na íntegra
A oposição questiona conflitos entre a agenda da governadora no período eleitoral de 2012 e como isso se traduziu em notícias nos veículos apontados como governistas.
Nomes aos bois.
A peça de 17 páginas submetida à apreciação de Verlano cita e mostra os investimentos aplicados no Jornal de Fato, Rádio Difusora e TCM, todos acusados na peça de fazerem “pirotecnia documental para malbaralhar as provas do abuso”.
De acordo com o texto, a Rádio Difusora recebeu do Governo do Estado em 2011 R$ 7.986,80, valor que foi quadriplicado em 2012, quando R$ 26.160,80 foram transferidos do Centro Administrativo para a conta da rádio.
Da Prefeitura de Mossoró, o texto diz que em 2011, os valores alcançaram R$ 318.213,50. No primeiro semestre de 2012, os números atingiram R$ 150 mil, ao que os advogados da oposição observam: “A mesma Rádio Difusora [...] deixou de apresentar nos autos os valores que recebeu no segundo semestre do ano de 2012.
Sobre a TCM, o texto aponta que os valores aplicados foram “excessivos”. Em 2011, a TV Cabo Mossoró recebeu do Governo do Estado R$ 21 mil, multiplicados ao ponto de alcançarem R$ 101.850,40 em 2012.
No tocante à Prefeitura de Mossoró, o texto assinala que a TCM recebeu no primeiro semestre de 2012 valor inferior a todo o ano de 2011, não tendo também prestado informações sobre quanto abocanhou de julho a dezembro do ano passado.
Os advogados pedem ainda no texto que o Jornal de Fato informe quanto recebeu em 2011 e 2012."

Nenhum comentário: