terça-feira, 28 de maio de 2013

Larissa: ‘Não posso ser penalizada porque trabalho e presto contas’

(A) Em discurso na Assembleia Legislativa, hoje (28), a deputada estadual Larissa Rosado (PSB) reafirmou confiança na reforma, no Tribunal Regional Eleitoral (TER), da decisão à perda de registro eleitoral e de direitos políticos por oito anos.

O recurso à sentença, proferida terça-feira (21) pelo juiz Herval Sampaio Júnior (33ª Zona Eleitoral), sob argumento de abuso de meios de comunicação, foi protocolado ontem (27) no TRE. Larissa comentou que histórico recente lhe é favorável.
Lembrou que o Tribunal reformulou todas as decisões do mesmo juiz acerca de multa por suposta propaganda eleitoral antecipada, sob o mesmo enfoque. E afirmou acreditar que haverá justiça contra o que se viu na campanha passada.
Abuso
“A população continua estarrecida com o desenrolar do pleito. Nunca se viu em Mossoró, e creio que em nenhum outro recanto do RN, uso tão escancarado e desavergonhado dos bens públicos em prol de objetivos partidários”, disse.
Tanto que, segundo ela, as duas Promotorias Eleitorais ingressaram, de forma conjunta, com seis ações pedindo a cassação do registro da chapa eleita à Prefeitura de Mossoró dia 7 de outubro, por abuso do poder econômico.
“Mas, apesar das provas irrefutáveis de que minha candidatura foi bombardeada por estruturas monstruosas, a tentativa de penalização recaiu injustamente sobre mim”, lamentou, dizendo-se mais decepcionada do que triste.

Injustiça
Larissa também lastimou a alegação na sentença de que a divulgação das suas ações de deputada estadual, mesmo antes da campanha, desequilibrou a disputa. “Não posso ser penalizada porque trabalho e presto contas do mandato”.
Acrescentou que a divulgação não tem cunho político-eleitoral nem é capaz de lhe dar vantagem em pleito. E que o TSE já decidiu que parlamentar não está impedido ou suspenso quanto às suas atividades, mesmo em período eleitoral.
Lembrando que o Ministério Público manifestou-se pela improcedência da ação, a deputada reafirmou confiança na Justiça dos homens, do povo e de Deus. “Delego à população julgamento sensato do meu trabalho”, concluiu.
Nove deputados prestam solidariedade


No plenário, nove deputados se solidarizam ao discurso de Larissa. Márcia Maia (PSB) se disse surpresa com a decisão judicial. “Quantas vezes a governadora abandonou tudo para ir fazer campanha em Mossoró?”, indagou.
Hermano Morais (PMDB) afirmou que a sentença foi “um equívoco” e que espera ser reparada na instância superior. O presidente Ricardo Motta (PMN) comentou: “Larissa fez sua prestação de contas, aliás, nada é mais legítimo que isso”.
Tomba Farias (PSB) apontou que as máquinas estadual e municipal tiveram grande influência na decisão do eleitorado em Mossoró. Kelps Lima (PR) observou que prestação de contas é legítima e que é preciso evitar condenações antecipadas.
Apoio
Vivaldo Costa (PR) avaliou o mal que faz notícia de decisão inicial, sem exame completo da Justiça; George Soares (PR) enalteceu trabalho de Larissa, e Nélter Queiroz (PMDB) citou fato polêmico da campanha de 2012 em Mossoró.
“Todos vimos a autoridade número um do Estado rasgando fotos da senhora”, contou Nélter. E Fernando Mineiro (PT) afirmou ter certeza que as instâncias superiores farão justiça e que modificará sentença proferida em Mossoró. (Assessoria de Comunicação Larissa Rosado).

Nenhum comentário: