sábado, 21 de dezembro de 2013

Ato de Filiação de Eliana Calmon ao PSB mobiliza a classe política

(A) "Nos piores momentos que eu passei na corregedoria do CNJ, no momento que eu estava no meio do fogo cruzado da todas as associações de magistrados que contra mim se levantavam eu disse: não se metam comigo que eu sou baiana. E e eu não poderia deixar que isso fossem apenas palavras. É aqui que está o meu coração".

Assim a ministra Eliana Calmon justificou a escolha da Bahia como domicílio eleitoral durante o Ato de Filiação ao PSB, apesar de ter vivido os últimos 24 anos em Brasília. Prefeitos de diversas regiões do Estado, parlamentares, dirigentes partidários de mais 100 municípios baianos, jornalistas, empresários, militantes, cidadãos participaram da cerimônia, que converteu Salvador na Meca da política nacional e fechou a temporada 2013 como um dos mais importantes eventos públicos do ano.

Em plena manhã dessa quinta-feira, 19, a celebração atraiu mais de 800 pessoas a uma casa de eventos da capital baiana. A presidente estadual da legenda, senadora Lídice da Mata, foi a anfitriã da festa que teve como principais convidados o presidente nacional do partido, o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, e a coordenadora nacional da Rede Sustentabilidade, a ex-ministra e ex-senadora Marina Silva. Os discursos foram precedidos por uma emocionante homenagem ao líder sul-africano Nelson Mandela, com a execução do Hino do Congresso Nacional Africano pelo coral Vozes Reveladas, do Maestro Sergio Souto.

Eliana disse ter recebido inúmeros convites de partidos políticos, mas que estava indecisa entre filiar-se à Rede e ao PSB. "Foi uma explosão no meu coração quando abri o jornal no dia no dia 6 de outubro e vi que a Rede estava no PSB. Não precisei mais escolher, o destino escolheu para mim", afirmou.
 
 

Saudada com o slogan "Justiça, Justiça, Justiça Social, Eliana Calmon no senado Federal", a homenageada agradeceu e disse identificar-se com o grito de guerra improvisado pela plateia. Primeira mulher a assumir vaga no Superior Tribunal de Justiça, ela reassumiu o compromisso de pautar sua carreira política pelos mesmos valores que a tornaram uma das mais respeitadas combatentes dos desmandos no Judiciário. "Chega, não aguentamos mais. A corrupção está corroendo os pilares da sociedade e ameaça as conquistas sociais que o Brasil alcançou. Estou certa de que o povo baiano não me faltará, estaremos juntos para vencer o ovo da serpente, vamos fazer uma campanha sem estar atrelada a esta máquina que é uma verdadeira camisa de força que é a força do dinheiro".

"A Bahia dá um passo à frente ao lançar dois nomes de grande representação e respeito como Lídice da Mata e Eliana Calmon. É uma referência que vamos buscar em cada estado brasileiro", pontuou o governador Eduardo Campos, referindo-se à parceria com a Rede Sustentabilidade para as eleições 2014. Para ele, a filiação de Eliana reafirma o movimento da coligação em direção ao que chama de nova política. "É preciso preservar as conquistas e só vamos conseguir fazê-lo se tivermos a capacidade de enxergar o brasil acima dos interesses de partidos e de grupos políticos".

Participação feminina

Segundo Marina Silva, as mulheres têm uma contribuição muito importante a dar para este século de crise econômica social e de valores, têm muito mais facilidade de dividir a autoria de seus feitos, seja em casa, no trabalho ou na esfera politica. "Estamos aqui para celebrar a união dessas duas mulheres fortes, Eliana e Lídice, uma para o senado e outra para o governo. Tenho certeza que a Bahia se dará este presente", declarou a coordenadora da Rede Sustentabilidade.

Lídice saudou a chegada de Eliana Calmon lembrando sua atuação à frente da corregedoria do CNJ, quando declarou que havia "bandidos de toga". "Tem horas em que é preciso rodar a baiana. Eliana Calmon fez isso e é nesse espirito de rodar a baiana, de desestabilizar aquilo que está posto que nós a recebemos com muita alegria no nosso partido", declarou Lídice, lembrando que Eliana pode vir a ser a terceira senadora pelo partido na Bahia, depois do fundador do PSB, João Mangabeira, e dela própria.

Lídice fez questão de agradecer nominalmente a cada uma das autoridades presentes, a exemplo do líder do PSB na Câmara, deputado Beto Albuquerque (RS), do vice-governador de Pernambuco, João Lira, o secretário geral do PSB, Carlos Siqueira, os coordenadores nacional e estadual da Rede Sustentabilidade, Pedro Ivo e  Júlio Rocha, o presidente do PPS da Bahia, vereador Joceval Rodrigues, que representou o presidente nacional da legenda, Roberto Freire, que compuseram a mesa. (Site PSB).

Nenhum comentário: