terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Sobre um novo aeroporto para Mossoró

Na política tem dessas coisas. Gente que nada tem a ver com uma conquista tenta dizer que é o "pai" ou "mãe" da obra; outros que contaram com o apoio de outros querem ser, sozinhos, os donos do pedaço. Tem de tudo um pouco.

Com relação ao combalido aeroporto de Mossoró, há muitos "pais" e "mães", mas pouco filho, ou nenhum filho.

O nosso aeródromo enfrenta problemas desde muito tempo. O Governo do RN pouco ou nada tem feito por ele. Na verdade, os últimos grandes investimentos foram feitos ainda no governo de Garibaldi Filho, em obras, e no de Wilma de Faria, em equipamentos.

Mas, por exemplo, o Orçamento Geral da União (OGU) de 2010 contou com emenda de R$ 40 milhões colocada pela deputada Sandra Rosado, que sugeriu a construção de um novo aeroporto. 

Em 18/04/2012, uma comitiva de políticos potiguares (da Câmara Municipal apenas eu e o vereador Genivan Vale) e empresários estiveram com o comandate da aeronáutica Juniti Saito em Brasília. Ali, ficou acertado que o Governo do RN iria fazer algumas melhorias para possibilitar a utilização do aeroporto.

Há tempos defendemos a construção de um novo aeroporto na estrada que liga Mossoró a Baraúna.

A luta de um ou outro político não anula a luta dos outros. As forças se somam. Ou pelo menos deveriam. Um novo aeroporto para Mossoró não é conquista de apenas uma pessoa, seja prefeito, governadora, deputado ou vereador. É uma conquista da união dos esforços.

É claro que um vereador não tem autonomia para assinar ordem de serviço, que um deputado não pode contratar construtora. Isso cabe ao poder Executivo (municipal, estadual e/ou federal), mas ele não consegue nada sem apoio.

A nossa torcida é para que tenhamos, sim, um novo aeroporto. E o mais rápido possível.

Nenhum comentário: