quarta-feira, 11 de junho de 2014

Comunicação aumenta 58,83% com Silveira

(A) Entre janeiro e maio deste ano os gastos da Secretaria Municipal de Comunicação da Prefeitura de Mossoró subiram R$ 1.409.520 (um milhão, quatrocentos e nove mil e quinhetos e vinte reais) num comparativo com o mesmo período de 2013, quando Cláudia Regina (DEM) ainda era a prefeita.

Em termos percentuais isso significa que os gastos com publicidade subiram 58,83%. O percentual é quase dez vezes maior que a inflação do ano passado que foi de 5,91%.
Em 2013 foram R$ 2.014.513 usados para a divulgação institucional. Já em 2014, sob a batuta de Francisco José Júnior (PSD), conhecido também como Silveira, a Prefeitura de Mossoró chegou a R$ 3.424.033.

Além do aumento dos gastos também houve uma mudança nas empresas que recebem os recursos. Nos tempos de Cláudia estavam atuando as agências da licitação anterior. As campeãs em arrecadação foram a Art & C, que sempre colabora com as campanhas do DEM, e CS Comunicação do jornalista César Santos, proprietário do Jornal De Fato, receberam, respectivamente, R$ 805.408 e R$ 795.166.

Com a administração de Francisco José Júnior a campeã no abocanhamento da publicidade municipal é a Quixote Propaganda, do jornalista Neto Queiroz. Foram R$ 1.832.114. Na sequência aparece a Castro & Frota Comunicação com R$ 707.363. Todos os dados estão no Portal da Transparência que pode ser localizado na Prefeitura de Mossoró.

Secretária de Comunicação, Mirella Ciarlini explicou que boa parte dos recursos são para pagamentos de dívidas da gestão anterior. "A gente pegou três milhões em dívidas. Estamos tendo a preocupação de pagar os fornecedores. A gestão anterior teve uma preocupação de colocar em dia. Temos dívidas até de 2011", relatou.

De acordo com Mirella, houve uma mudança de metodologia. Se antes a Prefeitura de Mossoró anunciava para pagar depois agora paga em dia. "Não estamos deixando para pagar depois. O município está pagando tudo que foi gasto este ano. Pagamos o do ano passado. Você está vendo o que foi pago e não foi o que foi gasto", explicou.

Mesmo assim, ela reconhece que para este ano os recursos para comunicação aumentaram. "A verba de comunicação este ano subiu bastante, mas o orçamento é maior. A diferença é que o que está sendo veiculado foi pago", destacou. Outro aspecto citado por Mirella é que não há, segundo ela, mais tratamento diferenciado. "Existiam alguns veículos que eram excluídos que estamos incluindo agora", concluiu. (Fonte: Jornal O Mossoroense).

Nenhum comentário: